AO VIVO Últimas Notícias
08/05/2023 10h15 | Atualizado em 08/05/2023 10h14

Rosácea atinge cerca de 10% dos brasileiros; entenda o que é essa doença de pele

Apesar de não haver cura para a rosácea, existe tratamento e controle, como ressalta a Sociedade Brasileira de Dermatologia

Rosácea atinge cerca de 10% dos brasileiros; entenda o que é essa doença de pele Foto: Divulgação
Da Redação

Vermelhidão e sensação de queimação no rosto, manchas que parecem acne, pústulas, pele mais grossa e sensível e até olhos vermelhos: esses são alguns dos sintomas da rosácea, doença vascular inflamatória crônica da pele sem cura, mas que pode ser tratada. Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia, a enfermidade afeta 10% dos adultos, e pode surgir por fatores emocionais, como estresse, ou gatilhos físicos, como alguns tipos de alimento, exposição ao frio ou ao calor e bebidas alcoólicas, como o vinho.

Ao Bom Dia Bahia, programa da TV Aratu, a dermatologista Júlia Ribeiro disse que a vermelhidão é mais comum no centro da face, e listou os principais gatilhos para o surgimento dos sintomas:

“Estresse, extremos de temperaturas, muito quentes ou muito frias, comidas muito condimentadas ou apimentadas, bebidas quentes, álcool, fumo, tudo isso pode desencadear crises de rosácea”.

Recentemente, a influenciadora digital Virginia Fonseca contou para seus mais de 43 milhões de seguidores no Instagram que está com rosácea grau 1 desencadeada por estresse. “Fui ao dermatologista e descobri ontem que tenho rosácea. Fico com o rosto vermelho quando estou estressada. Sinto a pele quente por dentro, parece que está pelando”, contou a empresária.

Tipos de rosácea

Existe uma classificação com quatro tipos de rosácea: a eritematotelangectasica, em há vermelhidão e dilatação de pequenos vasos na face; papulopustulosa, em que, além da vermelhidão e vasos aparentes, há lesões semelhantes à acne; fimatosa, quado a pele fica espessada, com textura irregular, especialmente no nariz (rinofima); e rosácea ocular, quando além da pele, ela atinge os olhos, causando irritação, vermelhidão e edema.

Apesar de não haver cura para a rosácea, existe tratamento e controle, como ressalta a Sociedade Brasileira de Dermatologia. Porém, é necessário considerar a fase clínica em que o paciente está: se apresenta mais o eritema periódico ou o persistente, se mais pápulas, nódulos ou rinofima.

O tratamento inclui fotoproteção, medicamentos tópicos e, por vezes, orais, e lasers para melhorar a vermelhidão e os vasos dilatados. Além disso, é importante eliminar ou ao menos controlar possíveis fatores agravantes ou desencadeantes, como bebidas alcoólicas, exposição solar, vento, frio e ingestão de alimentos quentes.

Veja a reportagem:

LEIA MAIS: Vício no TikTok causa sintomas parecidos com os do abuso de drogas, diz psiquiatra: “Irritabilidade, insônia e ansiedade”

Acompanhe nossas transmissões ao vivo no www.aratuon.com.br/aovivo. Siga a gente no InstaFacebook e Twitter. Quer mandar uma denúncia ou sugestão de pauta, mande WhatsApp para (71) 99940 – 7440. Nos insira nos seus grupos!