AO VIVO Últimas Notícias
15/04/2021 16h18 | Atualizado em 15/04/2021 16h34

Lote de 2,3 milhões de remédios para intubação doados por empresas chega ao Brasil nesta quinta

De acordo com o Ministério da Saúde, os insumos serão distribuídos imediatamente aos estados com maior escassez de medicamentos.

Lote de 2,3 milhões de remédios para intubação doados por empresas chega ao Brasil nesta quinta Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil
Da Redação

Um lote com 2,3 milhões de medicamentos usados na intubação de pacientes chegará ao Brasil na noite desta quinta-feira (15/4) e serão doados por um grupo de sete empresas ao Ministério da Saúde, disse a mineradora Vale, uma das companhias envolvidas na doação em nota.

O pool de empresas espera ainda para este mês a chegada no Brasil de um segundo lote com mais 900 mil medicamentos, como sedativos, neurobloqueadores musculares e analgésicos opioides que também serão doados para serem usados no Sistema Único de Saúde (SUS) em meio à escassez desses produtos causadas pela alta demanda de pacientes acometidos pela Covid-19 que precisam de intubação em unidades de terapia intensiva de todo o país.

"Todos os medicamentos serão doados ao Ministério da Saúde em quantidade suficiente para a gestão de 500 leitos pelo período de um mês e meio", afirmou a Vale em nota.

Além da mineradora, participam do grupo de empresas que fez a doação Engie, Itaú Unibanco, Klabin, Petrobras, Raízen e TAG, disse a Vale.

A Vale ainda informou que os itens foram adquiridos na China e possuem autorização para importação emitida pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), além da certificação da agência chinesa. De acordo com o Ministério da Saúde, os insumos serão distribuídos imediatamente aos estados com maior escassez de medicamentos.

LEIA MAIS: Bruno Reis diz que volta às aulas depende de vacinação dos professores; "vou defender isso"

Acompanhe todas as notícias sobre o novo coronavírus.

Acompanhe nossas transmissões ao vivo e conteúdos exclusivos no www.aratuon.com.br/aovivo. Nos mande uma mensagem pelo WhatsApp: (71) 99986-0003.

Fonte: Da redação