A Polícia Federal de São Paulo investiga na manhã desta segunda-feira (15/4) uma organização criminosa voltada para a prática de fraudes no recebimento do seguro-desemprego na 2ª fase da operação Mendacium. A operação foi batizada de Mendacium pois significa falsidade em latim.

Ao todo, são cumpridos 21 mandados de prisão preventiva e 12 mandados de busca e apreensão nas cidades de Ibicuí - a cerca de 470 km de Salvador-, Mauá (SP) e Porangatu (GO). A investigação começou em outubro de 2017, na delegacia da Polícia Federal de Presidente Prudente, quando um trabalhador desempregado procurou a PF para relatar que não havia conseguido retirar seu seguro-desemprego porque alguém já havia recebido o benefício. Ao longo das investigações, foi constatado que o grupo agia principalmente na cidade de São Paulo.

Até a primeira fase da operação, cerca de 300 empresas fictícias criadas pelos investigados foram identificadas para possibilitar o recebimento de mais de 9 mil benefícios de seguro-desemprego fraudulentos. Até setembro do ano passado, a estimativa era de que mais de R$ 9 milhões tinham sido foram sacados.

O Ministério da Economia apurou que, nos anos de 2015-/2019, a organização criminosa investigada recebeu mais de R$ 20 milhões em benefícios de seguro-desemprego fraudulentos.

LEIA MAIS: Homem é morto e quatro pessoas ficam feridas em 'suposto arrastão' no bairro da Liberdade

LEIA MAIS: Brotas: quatro homens são baleados e outro ferido durante 'ataque' em barbearia



Acompanhe nossas transmissões ao vivo e conteúdos exclusivos no www.aratuon.com.br/aovivo. Nos mande uma mensagem pelo WhatsApp: (71) 99986-0003.