AO VIVO Últimas Notícias
14/06/2024 18h27 | Atualizado em 14/06/2024 18h58

Ex-BBB Matteus se pronuncia sobre polêmica de fraude de cotas: ‘inscrição realizada por terceiro’

Ele ingressou na instituição federal em 2014

Ex-BBB Matteus se pronuncia sobre polêmica de fraude de cotas: 'inscrição realizada por terceiro' Foto: Reprodução/Instagram
Da Redação

O ex-BBB Matteus Amaral, mais conhecido como ‘Alegrete’, de 27 anos, quebrou o silêncio sobre a acusação de fraude de cotas, nesta sexta-feira (14/6). Em uma nota divulgada pelo Instituto Federal Farroupilha, foi revelado que ele teria ingressado na faculdade em 2014 pela Lei de Cotas, ao se autodeclarar preto. Naquela época, a única exigência para comprovar a etnia era uma autodeclaração.

Matteus usou os Stories para abordar a polêmica. “Recentemente, surgiram informações de que, em 2014, fui inscrito no curso de Engenharia Agrícola no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Farroupilha sob a modalidade de cotas para pessoas negras. Esta nota tem como objetivo esclarecer as circunstâncias dessa inscrição e expressar minha posição a respeito”, escreveu.

O gaúcho assegurou que a inscrição polêmica não foi feita por ele. “A inscrição foi realizada por um terceiro, que cometeu um erro ao selecionar a modalidade de cota racial sem meu consentimento ou conhecimento prévio”, declarou Matteus Amaral.

Ele ressaltou a importância das políticas de cotas no Brasil e expressou seu pesar pela situação. “Entendo a importância fundamental das políticas de cotas no Brasil. Por isso, lamento profundamente qualquer impressão de que eu teria buscado beneficiar-me indevidamente dessa política, o que nunca foi minha intenção”, afirmou.

Matteus encerrou seu pronunciamento reafirmando seu compromisso com a igualdade racial e social. “Reafirmo meu arrependimento por quaisquer transtornos causados e meu compromisso contínuo em ser um defensor ativo da igualdade racial e social. Agradeço a oportunidade de esclarecer este assunto e peço desculpas por qualquer mal-entendido que possa ter ocorrido”, concluiu.

O IF confirmou nesta que o gaúcho assinalou a própria etnia como “preto”.

EM TEMPO

Com a repercussão do caso, o ativista Antonio Isuperio deu entrada no Ministério Público, nesta sexta, em uma denúncia contra Matteus, acusando o gaúcho de falsidade ideológica. O documento pede que o ex-BBB seja preso e que a instituição federal seja investigada.

O finalista do BBB 24 teria fraudado o sistema de cotas raciais para ingressar no curso de Engenharia Agrícola no Instituto Federal de Farroupilha, no Rio Grande do Sul.

Segundo o Uol, que teve acesso ao documento, o ativista apontou que o ex-BBB ingressou na instituição de ensino se autodeclarando uma pessoa preta, e que isso configura uma prática criminosa, já que é explícita a real etnia de Matteus. Veja um trecho do documento:

“Que o indivíduo responda pelo crime de falsidade ideologia para adentrar a Universidade. A Faculdade e o Indivíduo devem ser responsabilizados. A Faculdade deve ser responsabilizada pela negligência e o indivíduo pelo crime de falsidade Ideológica. Código Penal – Decreto-Lei nº 2.848, de 7 de dezembro de 1940 Falsidade ideológica | Art. 299 – Omitir, em documento público ou particular, declaração que dele devia constar, ou nele inserir ou fazer inserir declaração falsa ou diversa da que devia ser escrita, com o fim de prejudicar direito, criar obrigação ou alterar a verdade sobre fato juridicamente relevante: Pena – reclusão, de um a cinco anos, e multa, se o documento é público, e reclusão de um a três anos, e multa, se o documento é particular. Parágrafo único – Se o agente é funcionário público, e comete o crime prevalecendo-se do cargo, ou se a falsificação ou alteração é de assentamento de registro civil, aumenta-se a pena de sexta parte”.

LEIA MAIS: Ativista denuncia ex-BBB Matteus ‘Alegrete’ ao Ministério Público por fraude em sistema de cotas

Acompanhe nossas transmissões ao vivo no www.aratuon.com.br/aovivo. Siga a gente no InstaFacebook e Twitter.  Envie denúncia ou sugestão de pauta para (71) 99940 – 7440 (WhatsApp).