AO VIVO Últimas Notícias
11/08/2021 08h15 | Atualizado em 11/08/2021 08h49

Tribunal de Contas vai analisar denúncia de possíveis irregularidades no contrato de venda da Refinaria Landulpho Alves

A RLAM fica na cidade de São Francisco do Conde, região metropolitana de Salvador e teve origem impulsionada pela descoberta do petróleo na Bahia.

Tribunal de Contas vai analisar denúncia de possíveis irregularidades no contrato de venda da Refinaria Landulpho Alves Foto: divulgação / Petrobras
Da Redação

O Tribunal de Contas da União (TCU) vai analisar uma denúncia de possíveis irregularidades no contrato de venda pela Petrobras da Refinaria Landulpho Alves (RLAM) em sessão plenária nesta quarta-feira (11/8).

Segundo informações do TCU, na mesma sessão, também será analisado um caso envolvendo a auditoria operacional realizada pela entidade para verificar se a estratégia da Petrobras para o setor de gás natural obedece as novas diretrizes governamentais de promoção da concorrência.

A refinaria fica na cidade de São Francisco do Conde, região metropolitana de Salvador e teve origem impulsionada pela descoberta do petróleo no estado baiano. A operação da Rlam possibilitou o desenvolvimento do primeiro complexo petroquímico do país, o de Camaçari.

De acordo com o tribunal, a denúncia trata de possíveis irregularidades nos atos do Conselho de Administração da Petrobrás que levaram à aprovação da assinatura do documento de compra e venda da refinaria.

A sessão plenária será virtual e pública e pode ser acompanhada, a partir das 14h30, no Canal do TCU na internet. A ordem de julgamento dos processos obedece a da pauta publicada no portal, iniciando-se com os processos unitários.

A Petrobras informou que segue a sistemática feita pelo Tribunal de Contas da União. No dia 12 de maio, o plenário da entidade julgou improcedente uma outra denúncia que questionava a venda da Refinaria Landulpho Alves, por valor abaixo do mercado.

VENDA REFINARIA

O Conselho de Administração da Petrobras aprovou a venda da Refinaria Landulpho Alves por US$ 1,65 bilhão (R$ 9,1 bilhões) no dia 24 de março. Segundo informações da Petrobras, no mesmo dia foi assinado o contrato com MC Brazil Downstream Participações, empresa do grupo Mubadala Capital, vencedora da disputa para compra da refinaria.

A Rlam será a primeira dentre as oito que estão em processo de venda com contrato assinado. Também foi aprovada a venda dos ativos logísticos da refinaria. A operação ainda será aprovada por órgãos reguladores.

A Refinaria Landulpho Alves é a primeira refinaria nacional de petróleo, criada em setembro de 1950. O local possui capacidade de processamento de 333 mil barris/dia, cerca de 14% da capacidade total de refino de petróleo do país. Os ativos da refinaria incluem quatro terminais de armazenamento e um conjunto de oleodutos que interligam a refinaria e os terminais.

LEIA MAIS: Câmara dos Deputados rejeita PEC do voto impresso; aprovação dependeria de 308 votos em dois turnos

Acompanhe todas as notícias sobre o novo coronavírus.

Acompanhe nossas transmissões ao vivo e conteúdos exclusivos no www.aratuon.com.br/aovivo. Nos mande uma mensagem pelo WhatsApp: (71) 99986-0003.

Fonte: Da redação