O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) se manifestou, na manhã desta quarta-feira (13/5), mais uma vez, sobre o vídeo da reunião ministerial, ocasião na qual teria tentado interferir na Polícia Federal, segundo acusação do ex-ministro Sergio Moro.

"Vão cair do cavalo sobre o vídeo. Eu não falo polícia federal, não existe a palavra federal em todo o vídeo", alegou o presidente.Ainda em matéria produzida pelo portal UOL, Bolsonaro teria dito que  "Não existe a palavra superintendência. Não existe a palavra investigação sobre filhos". 

Segundo o presidente, o desejo na mudança da "segurança" era para proteger sua família. "Falo sobre a segurança da minha família e meus amigos. Ou você acha que não há interesse em fazer uma maldade com filhos meus?", questionou.

Bolsonaro também explicou porque tinha dito antes que era melhor destruir o vídeo, mas não o fez. "Estava na iminência de destruir quando apareceu o depoimento do Moro. Se eu destruo, iam ficar martelando em cima de mim, deixei o vídeo". O presidente defendeu que o vídeo seja divulgado na íntegra.

"Por mim, eu divulgo", disse. "Eu não sei se eu posso conversar, porque eu faço parte do processo... eu não posso conversar com o Celso de Mello", continuou, dizendo que é a favor da divulgação, apesar dos "palavrões que eu falo sempre".

LEIA MAIS: Homem é abordado e preso pela polícia com pistola, munições e distintivos na Avenida Bonocô

LEIA MAISRui lamenta o "deboche" de quem duvida do coronavírus; "aprendi com minha mãe a sentir a dor do próximo"

Acompanhe todas as notícias sobre o novo coronavírus.

Acompanhe nossas transmissões ao vivo e conteúdos exclusivos no www.aratuon.com.br/aovivo. Nos mande uma mensagem pelo WhatsApp: (71) 99986-0003.