AO VIVO Últimas Notícias
06/06/2022 17h04 | Atualizado em 06/06/2022 17h15

Jornalista inglês e indigenista brasileiro desaparecem na Amazônia após ameaças; PF investiga

Eles deveriam ter voltado da floresta ás 9h de domingo, mas ainda não há sinal deles

Jornalista inglês e indigenista brasileiro desaparecem na Amazônia após ameaças; PF investiga Foto: redes sociais
Da Redação

O indigenista Bruno Araújo Pereira e o jornalista inglês Dom Phillips, correspondente do jornal inglês The Guardian no Brasil, estão desaparecidos há mais de 24 horas, de acordo com nota divulgada pela coordenação da União das Organizações Indígenas do Vale do Javari (Univaja). Eles estavam no Vale do Javari, no Amazonas e teriam recebido ameaças de fazendeiros.

O desaparecimento ocorreu no trajeto entre a comunidade Ribeirinha São Rafael até a cidade de Atalaia do Norte. Diversos apoiadores da causa indigenista cobraram reclamações nas redes sociais. A Polícia Federal (PF) informou,, em nota, nesta segunda-feira (6/6), que já está acompanhando e trabalhando no caso, mas não detalhes sobre as ações ou o efetivo utilizado.

RETROSPECTIVA

Bruno Pereira e Dom Phillips chegaram na sexta-feira (3/6) no Lago do Jaburu, nas proximidades do rio Ituí, para que o jornalista visitasse o local e fizesse entrevistas com indígenas. Segundo a Unijava, os dois deveriam retornariam neste domingo (5/6) para a cidade de Atalaia do Norte por volta de 9h da manhã, após parada na comunidade São Rafael, para que o indigenista fizesse uma reunião com uma pessoa da comunidade apelidado de Churrasco. 

A volta, entretanto, não aconteceu. Com a demora, uma primeira equipe de busca da Unijava saiu no início da tarde de Atalaia do Norte em busca dos desaparecidos, mas não os encontrou.

“A última informação de avistamento deles é da comunidade São Gabriel – que fica abaixo da São Rafael – com relatos de que avistaram o barco passando em direção a Atalaia do Norte. Às 16h, outra equipe de busca saiu de Tabatinga, em uma embarcação maior, retornando ao mesmo local, mas novamente nenhum vestígio foi localizado”, diz a nota.

Conforme a organização, Pereira, que faz parte do quadro da da Fundação Nacional do Índio (Funai), é pessoa “experiente e profundo conhecedor da região” e os dois viajavam com uma embarcação nova, com combustível suficiente para a viagem. Ele já foi ameaçado de morte outras vezes.

REPERCUSSÃO

O porta-voz do jornal The Guardian disse que está acompanhando a situação e em contato com as embaixadas brasileira e britânica. “O Guardian está muito preocupado e busca urgentemente informações sobre o paradeiro e a condição de Phillips. Estamos em contato com a embaixada britânica no Brasil e com as autoridades locais e nacionais para tentar apurar os fatos o mais rápido possível”, informou, segundo a Agência Brasil.

A Human Rights Watch divulgou nota em que diz que está muito preocupada com o desaparecimento. “É extremamente importante que as autoridades brasileiras dediquem todos os recursos disponíveis e necessários para a realização imediata das buscas, a fim de garantir, o quanto antes, a segurança dos dois”, diz a nota assinada pela diretora do escritório da Human Rights Watch no Brasil, Maria Laura Canineu.

Acompanhe nossas transmissões ao vivo no www.aratuon.com.br/aovivo. Nos siga no InstagramFacebook e Twitter. Quer mandar uma denúncia ou sugestão de pauta, mande WhatsApp para (71) 99940 – 7440. Nos insira nos seus grupos!

Fonte: Da redação