AO VIVO Últimas Notícias
11/02/2024 14h00 | Atualizado em 10/02/2024 23h27

De salto, ela não vai! Ortopedista aponta riscos do calçado no Carnaval e dá dicas e opções

Um pé comum, sem salto, distribui o peso do corpo de forma ergonômica, natural, e faz com que 60% fique na região do calcanhar e 40% na ponta do pé

De salto, ela não vai! Ortopedista aponta riscos do calçado no Carnaval e dá dicas e opções Foto: Ilustrativa/Pexels
Bruna Castelo Branco

A mistura de álcool e salto alto pode ser fatal no Carnaval ou, mais provavelmente, te levar a um posto de saúde com dores nos membros inferiores ou uma torção. Na folia do ano passado, a secretária municipal da Saúde e vice-prefeita de Salvador, Ana Paula Matos, disse, em entrevista ao Aratu On, que muitas mulheres procuraram assistência médica justamente por esse motivo: muito álcool, muito salto, e muito álcool com muito salto juntos.

De acordo com Matos, as mulheres representaram 63% das vítimas de intoxicação alcoólica na festa, enquanto que os homens foram 37% dos socorridos.

Queria aproveitar a oportunidade para falar com as meninas: eu, secretária de Saúde, dei uma olhadinha nos números com muito carinho, e vi que tem muitos casos de dor em membros inferiores e torções porque as meninas estão brincando com salto alto. Então, coloca um sapato adequado. E, também, beba um pouquinho menos. Das intoxicações alcoólicas, a gente percebeu que 63% dos atendimentos foram de mulheres”, detalhou ela.

Veja a entrevista na íntegra:

Usar salto alto em eventos que envolvem muitas horas em pé, longos deslocamentos, dança, empurra-empurra e multidões, de fato, está longe de ser o recomendado. Segundo o médico ortopedista Djalma Amorim Jr., especialista em coluna, um dos motivos é: de salto, a nossa base de fixação no chão é menor:

“Então, você não tem tanta firmeza quando você anda com sapato alto, esse é um ponto. O segundo, é que você termina ficando muito fora do chão, o que aumenta a incidência dos riscos de torções e fraturas. Você pode acabar fraturando o seu tornozelo, e essa fratura pode ser cirúrgica”.

E isso é porque, um pé comum, sem salto, distribui o peso do corpo de forma ergonômica, natural, e faz com que 60% da carga fique na região do calcanhar e 40% na ponta do pé. Se você coloca um saltinho baixo, de 2cm de altura, tudo muda: essa distribuição fica dividida em 50% no calcanhar e 50% na ponta do pé. A partir de 4cm, por exemplo, a situação fica um pouco mais extrema o peso fica concentrado em 57% só na ponta do pé, e 43% no calcanhar. Imagina um salto 15?

salto alto

“Quando você tem um apoio menor ao solo, acaba mudando, muitas vezes, a curvatura fisiológica que tem na coluna. Ou seja, muda o eixo da coluna. Consequentemente, pode ter dor”, explica o ortopedista.

FUI DE SALTO E ME MACHUQUEI, E AGORA?

Caso você acabe indo de salto para a folia mesmo assim, e sofra uma lesão na rua, a primeira coisa que você precisa fazer é tirar o pé do chão, como indica Djalma Amorim Jr. “Você deve tirar a carga e ir para uma emergência ortopédica. O ortopedista vai tirar um raio X e, não encontrando fratura, pode pedir uma ressonância do tornozelo e do pé também para avaliar se tem alguma lesão ligamentar”.

Por isso, para não ter erro, o melhor é ir de tênis. E não é um sapato novinho comprado especialmente para o Carnaval, não, e sim aquele tênis de academia velho de guerra mesmo, que já conhece cada curvinha do seu pé e está quase andando sozinho, como ressalta o especialista.

Use o seu tênis já antigo, porque ele já está adaptado ao seu pé. Essa são orientações básicas para que todo mundo possa curtir o Carnaval com alegria, com felicidade e trazer boas memórias”.

Acompanhe nossas transmissões ao vivo no www.aratuon.com.br/aovivo. Siga a gente no Insta, Facebook e Twitter. Quer mandar uma denúncia ou sugestão de pauta, mande WhatsApp para (71) 99940 – 7440. Nos insira nos seus grupos!