O general Augusto Heleno, chefe do Gabinete de Segurança Institucional, e o major Cid, ajudante de ordens da Presidência, foram diagnostcados com o novo coronavírus e deviam estar de quarentena para evitar a propagação do vírus. Porém, segundo a coluna Brasil Político, do Estadaão, ambos trabalharam normalmente nesta quarta-feira (25/3).

LEIA MAIS: Bolsonaro fala pela primeira vez após pronunciamento polêmico; "estão arrebentando o Brasil"

LEIA MAIS: Diretor-geral da OMS rebate discurso de Bolsonaro: "em muitos países as UTIs estão lotadas"

Durante a rotina de trabalho, eles conviveram com o presidente Jair Bolsonaro, jornalistas, simpatizantes do governo e diversas outras pessoas. O major Cid chegou a conversar com os jornalistas e dizer como se sentia bem, para endossar a versão do presidente de que o novo coronavírus não abala pessoas jovens e saudáveis.

Já Augusto Heleno, que tem 72 anos, participou da reunião de Bolsonaro e outros ministros com governadores do Sudeste. Ele estava sem máscara e se sentou à mesa ombro a ombro com colegas de ministério.

LEIA MAIS: Vídeo flagra bate-boca entre Bolsonaro e governador por chamada; "não tem altura"

LEIA MAIS: "Ao invés de falar absurdos, deveria estar liberando dinheiro", desabafa ACM Neto sobre Bolsonaro

A recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) e do Ministério da Saúde é que os doentes de covid-19 fiquem de quarentena mesmo depois de curados durante 14 dias, para aqueles que estiverem em casa. Eles devem se submeter a novos exames antes de retomar as atividades, mas não foi divulgado nada sobre se os dois infectados chegaram a fazer um novo exame.  

Acompanhe todas as notícias sobre o novo coronavírus

Acompanhe nossas transmissões ao vivo e conteúdos exclusivos no www.aratuon.com.br/aovivo. Nos mande uma mensagem pelo WhatsApp: (71) 99986-0003.