Após ser criticado pelo pronunciamento na última terça-feira (24/3), o presidente Jair Bolsonaro repetiu o discurso nesta quarta-feira (25/3) a jornalistas na saída do Palácio da Alvorada.

"O que estão fazendo no Brasil, alguns poucos governadores e alguns poucos prefeitos, é um crime. Eles estão arrebentando com o Brasil, estão destruindo empregos. E aqueles caras que falam 'ah, a economia é menos importante do que a vida'. Cara pálida, não dissocie uma coisa de outra", disse. Em rede nacional, Bolsonaro criticou medidas de isolamento e quarentena tomadas por governos estaduais contra o avanço do novo coronavírus.

No discurso, o presidente chegou a defender o isolamento vertical, que seria o afastamento apenas do grupo de risco das atividades do cotidiano. O isolamento tem sido recomendado por autoridades como a Organização Mundial da Saúde (OMS) e acatado por governos locais, que decretaram o fechamento temporário do comércio, escolas e serviços não-essenciais.

Bolsonaro afirmou que espera que o vírus não mate ninguém, mas que outros vírus já mataram e "não houve essa comoção toda". "Conversei por alto com Mandetta e vamos definir essa situação. Tem que ser, não tem outra alternativa. A orientação vai ser o vertical daqui para frente. Vou conversar com ele e tomar a decisão", completou. 

LEIA MAIS: Número de passageiros cai 70% e prefeito sugere redução na carga horária e salário de rodoviários; entenda

Acompanhe todas as notícias sobre o novo coronavírus.

Acompanhe nossas transmissões ao vivo e conteúdos exclusivos no www.aratuon.com.br/aovivo. Nos mande uma mensagem pelo WhatsApp: (71) 99986-0003.