AO VIVO Últimas Notícias
28/11/2023 10h00 | Atualizado em 27/11/2023 13h00

Sustentabilidade: a importância da graxaria nos abatedouros e frigoríficos

O setor é um grande gerador de renda na agroindústria brasileira, movimentando cerca de 12,4 milhões de toneladas de matéria crua por ano, o que equivale a 5,3 milhões de toneladas de farinhas e gorduras

Sustentabilidade: a importância da graxaria nos abatedouros e frigoríficos Foto: Divulgação/Boi Dourado
Da Redação

Publieditorial

Uma sociedade desenvolvida está diretamente ligada às boas práticas ambientais. Daí a importância da graxaria nos abatedouros e frigoríficos. Se você não sabe, a gente explica: por “graxaria”, entende-se a atividade de coleta e reciclagem dos restos de animais gerados pelos abatedouros, açougues e frigoríficos. Trata-se de um processo sustentável que ajuda a diminuir os impactos ambientais e sociais decorrentes do descarte incorreto deste tipo de resíduo.

O setor, aliás, é um grande gerador de renda na agroindústria brasileira, movimentando cerca de 12,4 milhões de toneladas de matéria crua por ano, o que equivale a 5,3 milhões de toneladas de farinhas e gorduras que movimentam, juntos, R$ 7,9 bilhões.

Na Bahia, destaque para o trabalho realizado pela Boi Dourado, empresa especializada na produção e comercialização de carne, sediada em Muquém do São Francisco, na região oeste. Antigamente inspecionada pelo Serviço de Inspeção Estadual, a empresa adquiriu recentemente o selo de qualidade e de produção do Sistema Integrado de Produtos e Estabelecimentos Agropecuários (Sipeagro), ligado ao Ministério da Agricultura e Pecuária.

“Temos, aqui, a melhor qualidade de produtos com o que há de mais moderno no setor de graxaria. Nossos produtos, são todos processados no dia, o que garante a menor acidez possível. O material prensado é moído em moinho de martelos, seguindo para peneiramento, o que garante a qualidade da nossa farinha. Hoje, podemos exportar para fora da Bahia e do Brasil”, ressalta o gerente industrial da Boi Dourado, Adenilson Juliano.

“Isso coloca a nossa graxaria a nível federal. Toda a nossa produção de farinha de carne e osso, farinha de sangue e o sebo (que é a gordura de bovinos) são oriundos do nosso próprio subproduto, abatidos e processados aqui mesmo, em nossa planta frigorífica”, acrescenta Juliano.

Você sabia?

De acordo com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA), os principais mercados atendidos pelas graxarias são o de rações animais (farinhas de carne, de ossos e de sangue e sebo); e produtos farmacêuticos (cosméticos, glicerina e outras aplicações industriais (sebo ou gordura animal).

Acompanhe nossas transmissões ao vivo no www.aratuon.com.br/aovivo. Siga a gente no InstaFacebook e Twitter. Quer mandar uma denúncia ou sugestão de pauta, mande WhatsApp para (71) 99940 – 7440. Nos insira nos seus grupos!