AO VIVO Últimas Notícias
11/12/2018 20h21 | Atualizado em 12/12/2018 08h19

Câmera interna mostra ação de atirador que matou quatro em catedral de Campinas

Câmera interna mostra ação de atirador que matou quatro em catedral de Campinas

Câmera interna mostra ação de atirador que matou quatro em catedral de Campinas Foto: Eliane Gonçalves/Rádio Nacional
Da Redação

Uma câmera interna registrou a ação do atirador identificado com Euler Fernando Grandolpho, 49 anos, que abriu fogo na Catedral Metropolitana de Campinas, no estado de São Paulo, por volta das 12h desta terça-feira (11/2). Quatro pessoas morreram e outras quatro ficaram feridas. Em seguida, com a entrada de policiais no local, Euler se matou.

No vídeo, obtido pelo jornal Folha de S. Paulo, o homem aparece no lado esquerdo da tela logo após o término da missa. De repente, ele se levanta e dispara contra um grupo de pessoas sentadas atrás dele. Euler, então, caminha no local e  aparentemente recarrega sua arma. Dois PMs entram em seguida e a imagem acaba. De acordo com a publicação, a polícia informou que o atirador foi atingido pelos policiais, mas tirou a própria vida.

O vídeo a seguir contém imagens agressivas:

Vídeo: reprodução/Folha de S. Paulo

SOBRE O ATIRADOR*

Euler era morador de Valinhos, cidade vizinha a Campinas. Ele foi servidor concursado do Ministério Público do Estado de São Paulo, atuando como auxiliar de Promotoria I, na Comarca de Carapicuíba, região metropolitana de São Paulo. O Ministério Público de São Paulo informou que ele pediu exoneração do cargo em 3 de julho de 2014. O perfil de Euler em uma rede social, sem postagens, informa que ele estudou no Colégio Técnico da Unicamp e na Unip, em Campinas.

O delegado José Henrique Ventura, que acompanha as investigações do caso, informou que Euler Fernando Grandolpho não tem antecedentes criminais. ?A profissão, ao que parece, é analista de sistemas. É uma pessoa fora de qualquer suspeita em circunstâncias normais. Agora, com a identificação, nós vamos investigar a motivação?, apontou.

LEIA MAIS: Especial Explosões Clandestinas: os 20 anos da tragédia que matou mais de 60

A carteira de habilitação do atirador foi encontrada em uma mochila dentro da igreja. Ventura informou que será feita uma diligência à casa de Grandolpho para buscar informações que possam levar ao esclarecimento do crime. ?Vamos fazer um levantamento da casa, de quem mora, se é casado. Os dados para saber os antecedentes antes dele chegar a Campinas?, explicou.

Investigações preliminares apontam que Grandolpho não conhecia as vítimas. ?Estamos agora identificando as vítimas, porque o que nos interessava primeiro era saber quem era o atirador?, apontou o delegado.

As imagens de câmeras de segurança mostram que o atirador entrou na igreja, sentou em um dos bancos e começou a atirar em pessoas que estavam atrás dele. Ele tinha uma pistola e quatro carregadores. ?Usou dois carregadores e tinha dois cheios com 22 cápsulas?, disse Ventura. Antes de se matar, o atirador foi atingido pela polícia.

LEIA MAIS: Confira as dezenas de vagas em Salvador para quarta-feira

Acompanhe nossas transmissões ao vivo e conteúdos exclusivos no www.aratuonline.com.br/aovivo e no www.aratuonline.com.br/lives. Nos mande uma mensagem pelo WhatsApp: (71) 99986-0003.

Fonte: Da redação, com informações da Folha de S. Paulo e Agência Brasil