Políticahá 16 dias. Fonte: Da redação

Bolsonaro ignora quatro mil mortes, ironiza título de genocida e critica restrições na pandemia

Creditos da foto:Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
Bolsonaro ignora quatro mil mortes, ironiza título de genocida e critica restrições na pandemia

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltou a criticar nesta terça-feira (6/4) as medidas restritivas adotadas por alguns estados para conter a transmissão da Covid-19, ironizou o termo "genocida", utilizado por alguns oposicionistas para caracterizar sua atuação e ignorou  as mais de 4.000 mortes por Covid-19 das últimas 24 horas.

O vídeo de pouco mais de 13 minutos, compartilhado por um canal de internet simpático ao presidente mostra a interação. Bolsonaro criticou medidas de restrição de circulação, listando como consequências de "ficar em casa" depressão, ganho de peso e hipertensão. "Tudo vai ser agravado", disse o presidente. As declarações foram feitas pelo presidente durante conversa com alguns apoiadores que o esperavam na saída do Palácio do Planalto.

Pouco depois, uma apoiadora citou as 4 mil mortes registradas pelo consórcio de imprensa nas últimas 24 horas. "Hoje, mais de 4.000 morreram aqui no Brasil. Você viu isso?", pergunta a mulher, que não é identificada nas imagens. 

Bolsonaro não reagiu e continuou falando sobre medidas restritivas. "Você vê: o povo perdendo emprego, nenhum sindicato fala nada contra isso daí”.

A mulher insistiu: “Hoje foram mais de 4.000”. Bolsonaro seguiu ignorando.

“Você pode ver, até um ano e pouco atrás, um policial batia num bandido. Toda a esquerda ia contra. Agora, está o cidadão de bem…”, disse Bolsonaro, sem concluir a frase.

Na conversa, Bolsonaro também  ironizou o fato de ser chamado de genocida. “O pessoal entrou naquela pilha de homofóbico, racista, fascista, torturador. Agora é o quê? Agora eu sou, que mata muita gente, como é que é o nome? Genocida. Agora eu sou genocida”, disparou, dando risadas. 

Bolsonaro também fez críticas à imprensa. “Eu resolvo o problema do vírus em poucos minutos. É só pagar o que os governos pagavam no passado para Globo, para Folha, Estado de S. Paulo. Agora, este dinheiro não é para a imprensa, é para outras coisas”, afirmou.

LEIA MAIS: Bares e restaurantes abrem as portas para o público nesta quarta-feira em Salvador

Acompanhe todas as notícias sobre o novo coronavírus.

Acompanhe nossas transmissões ao vivo e conteúdos exclusivos no www.aratuon.com.br/aovivo. Nos mande uma mensagem pelo WhatsApp: (71) 99986-0003.

logo_aratuonline

Não é um portal! É a vida ao vivo, em tempo real! O Aratu On é uma plataforma focada na produção de conteúdo audiovisual, que fala da Bahia e dos baianos para o Brasil e para o mundo. Aqui, a notícia é no tempo presente.

Fotos do Instagram

O deputado estadual @deputadoangeloalmeida (PSB) estará no Linha de Frente nesta sexta-feira (23/4), conversando com o jornalista @opabloreis, do Grupo Aratu. Participe com a gente através das nossas redes sociais.Vocês concordam que 'viver e sobreviver está sendo um enorme desafio para todos durante a pandemia', e que para quem é pai ou mãe, a situação pode ser ainda mais delicada? "A questão é: como auxiliar ou prestar apoio sem invadir o espaço do outro?"

Esse é o tema da estreia de Otávio Leal (@paivemca) no Colunistas On. Pai de Maria Flor, advogado e consultor parental, ele estará com a gente toda semana, falando sobre paternidade e relações familiares.

Para ler o artigo completo, acesse www.aratuon.com.br/colunistasonA cantora Anitta compartilhou, nesta quarta-feira (21/4), uma postagem nas redes sociais em que pede a saída de Ricardo Salles do Ministério do Meio Ambiente pelo seu “desserviço” no comando da pasta e criticou a atual gestão ambiental do Governo Federal. A situação, porém, gerou uma grande confusão. 

Tudo começou quando a artista usou o seu perfil no Twitter para defender a tag #ForaSalles, movimento que teve a adesão de outras personalidades. Salles então, respondeu à publicação, chamando a cantora de “Teletubbie”. 

“Fica na sua ai, ô Teletubbie", comentou, fazendo referência ao programa infantil criado em 1997.

A artista retrucou. "Além de imaturo, é burro. Melhor sair do ministério", disse. Em outro comentário, Anitta questionou a maturidade de Salles. "Quantos anos você tem? 12?", criticou. O ministro questionou se a cantora sabe quais são as capitais do Brasil ou para falar “pelo menos os nomes dos seis biomas brasileiros” para “começar a conversar”.

A cantora respondeu ao ministro novamente, pediu desculpa pela demora nas respostas e disse que não consegue respondê-lo em cinco minutos, como ele faz, “porque trabalha”. “Tava dando umas entrevistas em inglês, espanhol, em francês… você fala francês? Liga para a presidente da França? Ouvi dizer que ele ama vocês”, finalizou.

Depois da discussão, Anitta lançou uma enquete em sua rede social sobre a função do ministro do Meio Ambiente. As opções foram “defende a natureza” ou “fica de trelelê no Twitter”.

Além de Anitta, o movimento pedindo a saída de Salles da pasta responsável por conduzir a política ambiental teve adesões no Twitter de políticos da oposição e celebridades, entre nomes como a ex-ministra do Meio Ambiente Marina Silva, o compositor e ex-ministro da Cultura Gilberto Gil e a ativista defensora dos animais Luisa Mell.O secretário de Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas, usou as redes sociais na manhã desta quinta-feira (22/4) para anunciar a previsão de chegada de um novo lote com 222,5 mil doses da vacina contra a Covid-19. Os imunizantes são da CoronaVac (Butantan) e AstraZeneca (Oxford).

De acordo com o titular da pasta, 180,5 mil doses serão da Oxford/AstraZeneca e 42 mil da CoronaVac. A estimativa é que os imunizantes desembarquem em Salvador no final da tarde desta quinta. "Tem vacina chegando, gente! próxima pauta de entregas: 42 mil doses da Butantan; 180.500 doses da AstraZeneca", disse VIlas-Boas.

Salvador inicia a vacinação de mais dois públicos prioritários: pessoas com Síndrome de Down e psicólogos autônomos.

A primeira dose do imunizante também continua a ser aplicada em trabalhadores da Educação Infantil, nutricionistas autônomos, idosos de 60 anos ou mais, trabalhadores da saúde e profissionais autônomos, doulas, pacientes em hemodiálise e agentes de segurança pública.

CONFIRA A MATÉRIA COMPLETA EM www.aratuon.com.br
Ver Mais