AO VIVO Últimas Notícias
24/06/2020 21h08 | Atualizado em 24/06/2020 21h24

Estudo da UFBA aponta os bairros mais vulneráveis ao coronavírus em Salvador; veja lista

Estudo da UFBA aponta os bairros mais vulneráveis ao coronavírus em Salvador; veja lista

Estudo da UFBA aponta os bairros mais vulneráveis ao coronavírus em Salvador; veja lista Foto: GeoCombate Covid-19/UFBA
Da Redação

Salvador tem 11 bairros com "Vulnerabilidade Muito Alta" ao novo coronavírus, segundo um estudo realizado pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Os dados mostram que os moradores de Cassange, São Cristóvão, Coutos, Fazenda Coutos, Nova Brasília, Valéria, Paripe, São Tomé de Paripe, Periperi, Nova Constituinte e São Marcos devem ficar alerta em relação à Covid-19.

Os bairros da Pituba, Brotas, Pernambués, que estão nos três primeiros lugares na lista de locais com mais infectados da capital baiana nesta quarta-feira (24/6), não figuram na lista. Porém, o quinto lugar do ranking negativo está com o bairro de São Marcos, apontado como àrea perigosa pelo estudo.

LEIA MAIS: Confira novo ranking de casos da Covid-19 por bairros de Salvador

Além desses, a doença apresenta "Vulnerabilidade Alta" nos bairros Praia Grande, Rio Sena, S. João do Cabrito, Alto do Cabrito, Lobato, Boa Vista do Lobato, Boa Vista de S. Caetano, Alagados, Mussurunga, Canabrava, Nova Brasília, Águas Claras, Sussuarana, Nova Sussuarana, Novo Horizonte, São Rafael, Sete de Abril, Saramandaia, Bairro da Paz, Gamboa de Baixo, Bate Facho, Palestina, Ilha de Maré, Ilha dos Frades e Ilha de Bom Jesus dos Passos.

O estudo foi realizado pelo grupo GeoCombate Covid-19 e é formado por pesquisadores de diferentes instituições, com profissionais de Geografia, Engenharia Cartográfica, Arquitetura e Urbanismo, Engenharia de Transportes, Ciência de Dados, Saúde Pública, Geologia e Economia. Foram avaliadas três dimensões: a cidade e a moradia, considerando as àreas construidas do meio ambiente; a realidade socioeconômica dos moradores; e as condições de saúde, como grandes populações de doenças consideradas fatores de risco para a Covid-19.

LEIA MAIS: OMS reafirma que América Latina não atingiu pico do coronavírus; "a pandemia não está sob controle"

"Isso não significa dizer que são os locais com maiores ocorrências e incidências, mas sim que nesses lugares, a população possui condições menos favoráveis para o enfrentamento à doença, demandando assim uma maior atenção", explica a nota técnica divulgada pelo grupo no ultimo dia 14 de junho.

Acompanhe todas as notícias sobre o novo coronavírus.

Acompanhe nossas transmissões ao vivo e conteúdos exclusivos no www.aratuon.com.br/aovivo. Nos mande uma mensagem pelo WhatsApp: (71) 99986-0003.

Fonte: Da redação