AO VIVO Últimas Notícias
17/05/2022 15h12 | Atualizado em 17/05/2022 15h15

Ricardo Mandarino diz que conhece usuários de maconha e defende legalização pela terceira vez; “são pessoas que trabalham”

A declaração foi dada no I Congresso Internacional de Segurança Pública da Bahia, no final de abril. 

Ricardo Mandarino diz que conhece usuários de maconha e defende legalização pela terceira vez; Foto: divulgação
Jean Mendes

O secretário da Segurança Pública da Bahia, Ricardo Mandarino, defendeu mais uma vez a legalização da maconha no Brasil em público. Desta vez, o titular da pasta fez comparações entre a erva e bebidas alcoólicas, que chegaram a ser proibidas nos Estados Unidos. 

"O tráfico movimenta mais do que a Bahia arrecada em tributos […] Vou fazer um levantamento quanto o comércio de bebida alcoólica levanta. O argumento que se usava contra a indústria da bebida na época [da proibição] é o mesmo que se usa contra o tráfico, principalmente da maconha, que tem fins medicinais. É argumento moralista que existia nos Estados Unidos", defendeu. A declaração foi dada no I Congresso Internacional de Segurança Pública da Bahia, no final de abril. 

"Foi uma época de perseguição. Diziam que a bebida iria acabar com a família. Não é porque você regulamentou que os bêbados andam caindo pela rua. As pessoas perdem o controle do uso social, do uso moderado da droga. Não é todo mundo que faz isso. A maioria das pessoas que conheço que fumam maconha são pessoas que trabalham", completou Mandarino.

O titular da SSP ainda emendou, argumentando que, por mais que conheça pessoas que fumam, não o faz cúmplice. "Tenho amigos que falam: 'fumo cigarro todos os dias para dar uma relaxada'. Não estou defendendo isso, pois nunca fui usuário. Nunca gostei de bebida alcoólica. Eu odeio vinho. Quando coloco na boca, trava tudo. Vinho deve ser uma maravilha, todo mundo gosta. Minha mulher adora. Porque tenho que usar argumento moralista só porque não gosto?", comparou. 

O secretário ainda concluiu a fala, continuando as comparações entre bebida alcoólica e maconha. "Ela [bebida] tira você das amarras. Ela torna você um emancipado mental. Ela libera as pessoas, aumenta a criatividade. No meio artístico isso é evidente. Temos histórias de grandes compositores que, quando tomam uma bebida, fazem composições. Por que não admitir que isso possa acontecer no meio científico?", considerou. 

OUTRAS OPORTUNIDADES 

Foi em setembro de 2021 que Ricardo Mandarino falou sobre a regulamentação da maconha. Na época, ele comentava as mortes seguidas de três policiais militares dentro de dois dias, naquela época, na Bahia.

"Se você regulamentasse as drogas, tributando, quebra o tráfico. Não vão mais matar as pessoas. Aí você tributava, pegava o dinheiro e construía hospitais para drogados. 80% dos homicídios têm relação com o tráfico. Vou fazer o que é possível. Polícia de estado não é para matar ninguém". 

Em janeiro, o titular da SSP voltou a defender o tema. […] É difícil discutir esse assunto com pessoas mal intencionadas, porque você vai discutir assunto sério com gente desonesta intelectualmente e que fica falando bobagem o tempo todo como se você fosse um irresponsável. Irresponsável é quem insiste nessa demagogia desse combate antigo que tem mais de 50 anos que tem no mundo. O mundo está mudando", disse Mandarino ao repórter do Grupo Aratu, Ramon Lisbôa. 

Acompanhe nossas transmissões ao vivo no www.aratuon.com.br/aovivo. Nos siga no InstagramFacebook e Twitter. Quer mandar uma denúncia ou sugestão de pauta, mande WhatsApp para (71) 99940 – 7440. Nos insira nos seus grupos!

Fonte: Jean Mendes