Enquanto a Bahia se preocupa com uma possível segunda onda de Covid-19, os funcionários do Hospital Couto Maia, que trata a doença em Salvador, têm relatado um aumento de casos entre os próprios profissionais.

"Todos os dias testamos funcionários e é normal dois ou três testes positivos em um setor. Ficamos assustados quando testamos uns 30 funcionários, como sempre, e positivaram 15 pessoas", explicou a infectologista e diretora da unidade, Ceuci Nunes, ao Aratu On, nesta sexta-feira (20/11).

LEIA MAIS: Bahia passa dos 380 mil casos de Covid-19 desde início da pandemia; mais de 8 mil estão ativos

O último levantamento feito mostrava que 22% dos profissionais do centro já tinham sido infectados desde o inicío da pandemia, mas ainda não houve um dado mais recente. "Acredito que as pessoas estejam se descuidando. Aqui nunca faltou EPIs, mas as pessoas ficam tirando a máscara pra conversar, na hora de tomar café, são grupos pequenos, mas não mantém a distância recomendada, e aí complica", desabafa.

A chefe explica ainda que a abertura de praias e shopping podem ter influenciado, já que os profissionais podem pegar o vírus em outros locais. "Se é pra sair, tudo bem, não vamos deixar as pessoas ficarem em casa pra sempre, mas que façam com cuidado. O vírus tá aí ainda, e tá forte!", alerta.

Ceuci conta que está ciente da possibilidade de uma nova onda de contaminações e que já há diálogos entre a unidade e o Governo do Estado com um planejamento de crise. A unidade deixou de ser exclusiva para pacientes com Covid-19, atendendo também outras doenças, mas atualmente abriga 60 pessoas internadas com o coronavírus.

Por meio de nota, a Secretaria da Saúde da Bahia informou que os números desde o início da pandemia ainda estão sendo computados. Segundo a pasta, o Couto Maia possui um setor de Educação Continuada que está reforçando o treinamento em serviço de medidas de prevenção.

Acompanhe todas as notícias sobre o novo coronavírus.

Acompanhe nossas transmissões ao vivo e conteúdos exclusivos no www.aratuon.com.br/aovivo. Nos mande uma mensagem pelo WhatsApp: (71) 99986-0003.