O Projeto de Monitoramento de Praias (PMP), criado pela Petrobras em 2009, já resgatou 3.084 pinguins nos seis primeiros meses de 2020, nas praias que se estendem da Região Sul até o Espírito Santo. Os dados foram divulgados nesta última quinta-feira (9/7), e são atualizados diariamente.

O PMP é desenvolvido em dez estados, ao longo da costa brasileira, e é considerado o maior do mundo em monitoramento de praias. O programa não inclui os litorais de Pernambuco e da Paraíba, onde a Petrobas não tem operações no mar.

De acordo com o projeto, para os primeiros seis meses do anos, é o maior número registrado de resgate de pinguins pelo programa, nos últimos anos. Segundo a gerente-geral de Licenciamento Ambiental da Petrobras, Daniele Lomba, o aparecimento dessa espécie na costa brasileira é normal no período de inverno, que de 21 de junho a 22 de setembro.

Conforme a ambientalista, no entanto, os pesquisadores ainda não sabem dizer o que originou esse aumento.  A expectativa é que o número de pinguins em praias brasileiras vai crescer ainda mais, porque julho, agosto e setembro são os meses que apresentam anualmente maior número de ocorrências.

Os animais encontrados são da espécie pinguim-de-magalhães (Spheniscus magellanicus), comum nas Ilhas Malvinas, Argentina e Chile, que, para fugir das temperaturas frias, migram para o litoral brasileiro durante o inverno.

LEIA MAIS: Instagram vai banir conteúdos que promovem 'cura gay' e 'cura trans' da plataforma

Acompanhe todas as notícias sobre o novo coronavírus.

Acompanhe nossas transmissões ao vivo e conteúdos exclusivos no www.aratuon.com.br/aovivo. Nos mande uma mensagem pelo WhatsApp: (71) 99986-0003.