O ex-ministro Geddel Vieira Lima (MDB) foi condenado por improbidade administrativa no processo envolvendo o Edifício La Vue, na Ladeira da Barra em Salvador. A decisão foi divulgada nesta terça-feira (31/3), pela Justiça Federal de Brasília. Com a condenação, Geddel está proibido de exercer qualquer função pública por cinco anos, além da obrigação de pagar uma multa de 10 vezes o valor do salário que recebia enquanto ministro da Secretaria de Governo da Presidência da República.

O trecho do documento afirma que “as provas dos autos dão conta de que, em novembro de 2016, o acusado praticou ato de improbidade administrativa atentatório contra os princípios da administração pública, valendo-se da influência que possuía em razão do cargo que ocupava à época, ministro-chefe da Secretaria de Governo da Presidência da República”. A decisão foi assinada pela juíza Diana Wanderlei, da 5ª Vara Federal Cível do Distrito Federal (SJ/DF).

Desde setembro de 2017, Geddel cumpre pena de 14 anos de prisão pelos crimes de lavagem de dinheiro e associação criminosa, pelo caso do bunker de R$ 51 milhões, encontrado em um apartamento no bairro da Graça. Na última segunda-feira (30/3), teve o pedido de cumprimento de pena domiciliar negada pelo Supremo Tribunal Federal (STF). A defesa do ex-ministro alegava precaução contra a contaminação do novo coronavírus, já que Geddel faz parte do grupo de risco. 

LEIA MAIS: STF nega pedido de prisão domiciliar para Geddel; ex-deputado alega estar no grupo de risco do coronavírus

Acompanhe todas as notícias sobre o novo coronavírus.

Acompanhe nossas transmissões ao vivo e conteúdos exclusivos no www.aratuon.com.br/aovivo. Nos mande uma mensagem pelo WhatsApp: (71) 99986-0003.