O ministro Luís Roberto Barroso, que assume a presidência do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) na próxima semana, disse nessa sexta-feira (22/5), que as eleições municipais deste ano podem ter dois dias de votação. A hipótese ainda está sendo analisada. A intenção é reduzir as aglomerações e a exposição de eleitores ao novo coronavírus.

Segundo o ministro, para acrescentar mais um dia de eleição, seria preciso um gasto adicional de R$ 180 milhões. Porém, diante da crise fiscal, o TSE avalia outra possibilidade, como expandir o horário da votação, para que ela dure12 horas, o que teria um custo menor. 

Além dessas duas possibilidades, a Justiça Eleitoral também estuda fazer a votação divivida por faixa etária, nos diferentes turnos do dia da eleição. Uma opção é colocar idosos votando mais cedo, e os mais jovens, a partir da "hora do almoço", como explicou Barroso.

A definição sobre o adiamento ou não das eleições deste ano, depende ainda da trajetória de curva de contaminação do coronavírus. A decisão deve ser divulgada em junho.
 

LEIA MAIS: Rodrigo Maia revela que há duas possibilidades de data caso as eleições municipais sejam adiadas; confira

Acompanhe todas as notícias sobre o novo coronavírus.

Acompanhe nossas transmissões ao vivo e conteúdos exclusivos no www.aratuon.com.br/aovivo. Nos mande uma mensagem pelo WhatsApp: (71) 99986-0003.