AO VIVO Últimas Notícias
13/12/2018 06h50 | Atualizado em 13/12/2018 08h17

Candidato à presidência da Câmara defende aumento de salário para deputados

Candidato à presidência da Câmara defende aumento de salário para deputados

Candidato à presidência da Câmara defende aumento de salário para deputados Foto: Agência Brasil
Da Redação

O deputado Fábio Ramalho (MDB-MG) subiu à tribuna da Câmara nesta última quarta-feira (12/12) para pedir o aumento de salário para deputados federais. Em campanha para a presidência da Casa, Ramalho defendeu que o reajuste para ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), sancionado pelo presidente Michel Temer no fim do mês passado, seja observado para o novo cálculo.

“Nós precisamos que todos os deputados sejam reajustados como está sendo reajustado todos os outros poderes. Então, pediria ao senhor (presidente da Câmara, Rodrigo Maia) que tivéssemos uma reunião da mesa e que tratássemos do aumento que é constitucional, dentro da lei, para que todos os parlamentares tenham seu direito assegurado sobre tudo no salário”, disse Fábio Ramalho.

O deputado ameaçou até brigar pela demissão de quem fez o cálculo do orçamento para a Câmara sem levar em conta o reajuste. “O diretor geral da casa fez um erro sobre a questão do CNE (cargo de natureza especial). Temos de tomar uma posição e, se for o caso, até demiti-lo. Ele não podia fazer esse erro, que é grave em todos os gabinetes. Deveríamos reunir a mesa diretora e tratar do aumento do salário de todos os deputados”.

Atualmente, os deputados recebem um salário de R$ 33,7 mil. Os parlamentares também têm direito à verba da chamada “cota parlamentar”, entre R$ 30,7 mil a R$ 45,6 mil, a depender da região de cada deputado; verba de contratação de pessoal, com limite de até R$ 78 mil;  e auxílio-moradia, de R$ 3,8 mil.

LEIA MAIS: Ministro revoga suspensão de multas por descumprimento de tabela de frete

Acompanhe nossas transmissões ao vivo e conteúdos exclusivos no www.aratuonline.com.br/aovivo e no www.aratuonline.com.br/lives. Nos mande uma mensagem pelo WhatsApp: (71) 99986-0003.

Fonte: Da redação com informações do O Globo