AO VIVO Últimas Notícias
04/02/2017 08h25 | Atualizado em 25/03/2023 15h52

SEM MOTIVO: Sargento é preso por matar pedreiro na Fazenda Grande II

SEM MOTIVO: Sargento é preso por matar pedreiro na Fazenda Grande II

Da Redação

O sargento da reserva do Corpo de Bombeiros, Armando Correia Vilas Boas Filho, de 54 anos, foi preso na última quinta-feira (2/2). Ele tinha um mandado de prisão temporária pelo homicídio do pedreiro Raimundo Nonato Santana, de 47 anos, ocorrido em 28 de janeiro, no bairro de Fazenda Grande II.

Segundo informações da Polícia Civil, o sargento se apresentou no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), acompanhado de um advogado, para esclarecer a morte de Raimundo, e acabou detido. Segundo o bombeiro, ele apenas reagiu ao perceber que o pedreiro fez menção de pegar algo na cintura.

LEIA MAIS: CARTA FORA DO BARALHO: Preso traficante responsável por 17 homicídios

A versão do sargento, porém, não coincide com a investigação realizada pela Polícia Civil, que ouviu testemunhas. Segundo elas, Armando havia ingerido grande quantidade de bebida alcoólica ao longo do dia e prometeu diversas vezes que mataria uma pessoa, naquele dia, mesmo sem ter motivos que justificasse o ato.

O pedreiro estava voltando de bicicleta da casa da mãe, trazendo um pacote de fraldas, quando foi chamado pelo sargento, que estava sentado na calçada. “Armando disse que o mataria e o pedreiro indagou o motivo, implorando por sua vida, mas, mesmo assim, acabou sendo baleado nas costas, ao tentar fugir,” apurou o delegado José Mário Mota, titular da 2ª Delegacia de Homicídios (2ª DH/Central).

LEIA MAIS: PERNAMBUÉS: Após alagamento, Embasa promete concluir conserto de tubulação na noite desta sexta-feira

A investigação levantou também que, antes de matar o pedreiro, o sargento já havia ameaçado um vendedor de jaca, que cobrara dele R$ 10 por uma fruta. Esta, consumida em casa com a família, estaria estragada e, por esse motivo, voltou até o vendedor e disse que se não devolvesse os R$ 10 seria morto.

O dono da jaca, depois de negar que a jaca estivesse ruim, acabou atendendo a exigência, sendo perdoado por isso. Armando seguiu para a Corregedoria da Polícia Militar (PM), onde ficará preso no Batalhão de Choque, em Lauro de Freitas.

Acompanhe nossas transmissões ao vivo e conteúdos exclusivos na página facebook.com/aratuonline e também pelo youtube.com/portalaratuonline.

Fonte: Da redação