A Lua será o destaque no céu neste domingo (9/2). Isso porque, nosso único satélite natural vai estar no ponto mais próximo da Terra e na fase mais luminosa: a da Lua cheia. A essa coincidência, os astrônomos dão o nome de Superlua. O fenômeno pode ser observado a olho nu.

Mas, como isso acontece? A Superlua surge da coincidência de dois fatos astronômicos. "O primeiro é que a Lua não gira em torno da Terra em formato de circunferência, mas em uma órbita um pouquinho achatada. Então, ela tem de estar no ponto mais próximo da Terra, que chamamos de perigeu e, ao mesmo tempo, na fase cheia”, explica o coordenador do projeto Astro&Física do Instituto Federal de Santa Catarina e doutor em física pela Universidade Federal de Santa Catarina, professor Marcelo Schappo.

Em alguns lugares, a Superlua deste domingo pode não ser considerada a primeira de 2020. O Observatório do Valongo, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), considera Superluas apenas as que vão acontecer nos dias 9 de março e 7 de maio. Segundo o especialista, isso acontece porque dependendo da localização do observatório que faz o anuário dos eventos astronômicos, é possível ter alguma diferença sobre intervalo de tempo entre o perigeu e a Lua cheia. Mesmo assim, recomenda: "Trata-se de uma janela arbitrária, mas no fundo são luas cheias sempre muito bonitas. Vale a pena a observação”.

Para outros observatórios, a Superlua vai acontecer entre os dias 7 e 8 de abril, a depender do horário. Há ainda os que apontam o 7 de maio

LEIA MAIS: Radares da Avenida Luis Eduardo voltam a fiscalizar velocidade neste sábado

Acompanhe nossas transmissões ao vivo e conteúdos exclusivos no www.aratuon.com.br/aovivo. Nos mande uma mensagem pelo WhatsApp: (71) 99986-0003.