A Fundação Gregório de Mattos (FGM) deu abertura ao processo de tombamento do Monumento ao Dois de Julho, localizado na Praça do Campo Grande, em Salvador, na última segunda-feira (2/3). Com o início do processo, um dossiê técnico deve ser preparado em um prazo de até 36 meses.

Após a finalização do documento, ele é encaminhando ao Conselho Consultivo do Patrimônio, para análise e emissão de parecer, caso seja favorável. Enquanto o processo não for concluído, a escultura deverá permanece em regime de tombamento provisório, como medida para garantir preservação e proteção ao Monumento. Uma vez tombado, uma série de ações serão planejadas para que a peça seja preservada.

MONUMENTO

O Monumento ao Dois de Julho foi criado na Itália, pelo artista italiano Carlo Nicoli y Manfredini, e inaugurado em 1985. A peça, que mede 25,86 metros, tem como personagem principal um caboclo, munido com arco e flecha e armado com uma lança, matando um dragão. 

A imagem, que faz uma metáfora à tirania portuguesa, representa a identidade, a nacionalidade e a liberdade do povo brasileiro que lutou pela independência. Na escultura, há ainda a figura de uma mulher, que representa a Bahia, e outra em homenagem à Catharina Paraguaçu, índia que foi esposa de Caramuru, com o lema "Independência ou Morte", no escudo.

LEIA MAIS: Decreto reconhece Samba de Roda do Recôncavo como Patrimônio Cultural Imaterial do Estado

Acompanhe nossas transmissões ao vivo e conteúdos exclusivos no www.aratuon.com.br/aovivo. Nos mande uma mensagem pelo WhatsApp: (71) 99986-0003.