O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, informou ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que aguarda a conclusão de perícias para decidir sobre o envio de provas do inquérito das fake news com as ações eleitorais que pedem a cassação do mandato do presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido).

Relator da investigação no STF, Mores deve avaliar se a apuração criminal tem relação, ou não, com os processos eleitorais. Isso depois que o corregedor-geral da Justiça Eleitoral, ministro Og Fernandes, relator das ações de cassação no TSE, ter admitido que provas do inquérito sejam compartilhadas com a Justiça Eleitoral.

Em comunicação enviada a Og Fernandes, Moraes afirma que "as perícias decorrentes das diligências de busca e apreensão e de quebra dos sigilos bancário e fiscal" estão em andamento e devem ser "concluídas brevemente". 

As ações no TSE investigam se houve o financiamento irregular do disparo em massa de mensagens via WhatsApp na campanha presidencial de 2018.

INQUÉRITO

O inquérito das fake news foi aberto no STF para apurar a existência de uma rede de disseminação de notícias falsas e ameaças aos ministros do Supremo. Os alvos da investigação são empresário, bloqueiros e ativistas apoiadores do presidente Bolsonaro.

O pedido para o compartilhamento de provas com o TSE foi feito pela coligação do candidato Fernando Haddad (PT).

Acompanhe todas as notícias sobre o novo coronavírus.

Acompanhe nossas transmissões ao vivo e conteúdos exclusivos no www.aratuon.com.br/aovivo. Nos mande uma mensagem pelo WhatsApp: (71) 99986-0003.