O novo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), ministro Luiz Fux, assinou nesta última terça-feira (15/9) a primeira recomendação à frente do Conselho. Fux decidiu prorrogar as medidas de prevenção ao coronavírus nos presídios e tornou mais rígidas as regras para conceder benefícios aos presos - entre eles a prisão domicíliar. 

Fux orienta que os magistrados do país não devem aplicar as medidas a condenados por lavagem de dinheiro, ocultação de bens, direitos e valores, corrupção, crimes hediondos ou violência doméstica contra a mulher. A nova recomendação ainda amplia as regras por mais 360 dias, podendo ser prorrogadas ou ter o término antecipado antes de completar esse período. 

A primeira resolução do CNJ com medidas para combater a disseminação do novo coronavírus nos presídios foi assinada em março, pelo antecessor de Fux, ministro Dias Toffoli. O texto anterior recomendava, entre outros pontos, que os juízes revissasem todas as prisões provisórias do país e avaliassem a possibilidade de liberar presos.

LEIA MAIS: Grupo rende seguranças e sequestra funcionárias de maternidade dentro do estacionamento em Salvador

Acompanhe todas as notícias sobre o coronavírus.

Acompanhe nossas transmissões ao vivo e conteúdos exclusivos no www.aratuon.com.br/aovivo. Nos mande uma mensagem pelo WhatsApp: (71) 99986-0003.