A Prefeitura de Salvador, através da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), iniciou o inquérito epidemiológico sobre a Covid-19. Os treinamentos de capacitação de mais de 90 profissionais, entre agentes de endemia, técnicos de laboratório e supervisores, foram conduzidos com o apoio da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). A medida tem o objetivo de estimar melhor a magnitude e evolução da transmissão viral na cidade. 

Nesta primeira etapa da ação de campo, com duração de dez dias, a estratégia utilizada é um sorteio de bairros e ruas de cada Distrito Sanitário (Centro Histórico, Itapagipe, São Caetano/Valéria, Liberdade, Brotas, Barra/Rio Vermelho, Boca do Rio, Itapuã, Cabula/Beiru, Pau da Lima, Subúrbio Ferroviário e Cajazeiras), estudando a dinâmica de contaminação domiciliar e os fatores de risco envolvidos. 

"O principal objetivo é conhecer a situação epidemiológica da doença no município, estudar os fatores de risco, as características clínicas da doença, a resposta imunológica, bem como a duração dos anticorpos e a presença da resposta imune celular. O inquérito iniciou com as testagens durante visitas nas casas. Estamos no quarto dia e, ao todo, serão visitados três mil domicílios, testando pelo menos três mil pessoas para diagnóstico do coronavírus”, explicou Ana Paula Pitanga, membro do Centro de Operações Emergenciais do Covid-19. 

O inquérito epidemiológico conta com apoio do Centro de Informações Estratégicas e Vigilância em Saúde (CIEVS), Centro de Operações e Emergência em Saúde Pública (COE), Núcleo de Tecnologia e Informação (NTI), Diretoria de Atenção à Saúde (DAS) e Centro de Controle de Zoonose (CCZ).

LEIA MAIS: Ministério da Saúde só irá agir contra ‘segunda onda’ de Covid-19 quando as mortes aumentarem

Acompanhe todas as notícias sobre o novo coronavírus.

Acompanhe nossas transmissões ao vivo e conteúdos exclusivos no www.aratuon.com.br/aovivo. Nos mande uma mensagem pelo WhatsApp: (71) 99986-0003.