AO VIVO Últimas Notícias
10/09/2021 16h07 | Atualizado em 10/09/2021 16h24

Governo diz que não há mais interdição de rodovias por caminhoneiros; áudio e carta de Bolsonaro teriam surtido efeito

Mesmo sem protestos, ainda há pontos de concentração de caminhoneiros nos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Rondônia.

Governo diz que não há mais interdição de rodovias por caminhoneiros; áudio e carta de Bolsonaro teriam surtido efeito Foto: leitor/Aratu On
Da Redação

O balanço divulgado nesta sexta-feira (10/9) pelo Ministério da Infraestrutura informa que às 12h30 de hoje toda a malha rodoviária federal estava aberta para o livre fluxo de veículos de carga. Em outras palavras, todos os bloqueios de rodovias realizados por caminhoneiros haviam sido liberados. O balanço foi feito com base em informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Mesmo sem protestos, ainda há pontos de concentração de caminhoneiros nos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Rondônia. “Ao todo, o número de ocorrências já é 70% menor do que o registrado no mesmo período do dia anterior. Tendência é seguir em queda ao longo do dia”, relata o comunicado

ÁUDIO

O movimento teve início um dia depois das manifestações pró-governo ocorridas na terça-feira (7/9). Os caminhoneiros que apoiam o presidente pediam o fechamento do Supremo Tribunal Federal (STF) e a destituição de ministros da Corte, além de intervenção militar. 

O presidente Bolsonaro enviou um áudio às lideranças dos caminhoneiros pedindo o desbloqueio das pistas, para evitar desabastecimento e aumento dos índices inflacionários. O arquivo, entretanto, foi encarado como uma brincadeira. Durante a noite de quinta (9/9), o mandatário publicou uma carta falando que "nunca" teve "nenhuma intenção de agredir quaisquer dos poderes", em alusão as divergências com o STF.

Acompanhe todas as notícias sobre o novo coronavírus.

Acompanhe nossas transmissões ao vivo e conteúdos exclusivos no www.aratuon.com.br/aovivo. Nos mande uma mensagem pelo WhatsApp: (71) 99986-0003.

Fonte: Da redação