AO VIVO Últimas Notícias
25/07/2017 15h11 | Atualizado em 06/05/2023 16h32

ALERTA: Feira registra 1º caso de doença maculosa e teme repetição de ‘efeito Chikungunya’ no país

ALERTA: Feira registra 1º caso de doença maculosa e teme repetição de ‘efeito Chikungunya’ no país

ALERTA: Feira registra 1º caso de doença maculosa e teme repetição de ‘efeito Chikungunya’ no país Foto: Reprodução
Da Redação
Do Feira 24h, parceiro Aratu Online

A equipe médica do Hospital Estadual da Criança, em Feira de Santana, diagnosticou a presença da doença febre maculosa na pequena Tayla Kethely, de apenas 3 anos. A menina foi internada na última quinta-feira (20/7) com febre alta e espumando muito pela boca. A família da criança reside próximo a estrada do aeroporto, em Feira.

A febre maculosa é transmitida pelo carrapato-estrela ou micuim da espécie ‘amblyomma cajennense’, quando infectado pela bactéria Rickettsia rickettsii. Esse carrapato hematófago (aquele que se alimenta de sangue) pode ser encontrado em animais de grande porte (bois e cavalos), mas também em cães, aves domésticas, roedores e, especialmente, na capivara.

LEIA MAIS: MEDO DO MOSQUITO: Moradores do subúrbio queixam-se de aumento de chikungunya nos últimos dois meses

LEIA MAIS: ALARMANTE: Dengue, zika e chikungunya mataram quase 800 pessoas em 2016 no Brasil

Em 2014, Feira de Santana foi polo de descoberta da chikungunya — doença transmitida pelo aedes aegypti e que tem como sintomas febre alta, dores intensas nas articulações dos pés e mãos, além de dores nos músculos e manchas vermelhas na pele.

LEIA MAIS: CENÁRIO NEGATIVO: Casos de chikungunya devem voltar a subir neste ano
LEIA MAIS: ?SINAL AMARELO?: Salvador em alerta para epidemia de Dengue, Zika vírus e Chikungunya

LEIA MAIS: CHIKUNGUNYA: Hospital de Salvador recusa sangue de moradores da região sul do estado

Depois que a doença foi descoberta em Feira se espalhou pelo país e houve ações do governo federal para impedir uma possível epidemia. O primeiro caso da febre maculosa liga o sinal de alerta pelo possível medo de repetição do caso.

O Aratu Online procurou a Secretaria de Saúde do Estado para falar sobre o assunto. A assessoria da pasta disse que ainda não estava ciente do caso, mas que entraria em contato com a secretaria de saúde do município de Feira para atualizar os dados.

TRANSMISSÃOPara a transmissão da doença, o carrapato infectado precisa ficar pelo menos quatro horas fixado na pele das pessoas. Os mais jovens e de menor tamanho são vetores mais perigosos, porque são mais difíceis de serem vistos.

Segundo o site Rota da Informação, o pai da garota infectada, Diego Brito, disse ao Rota da Informação, que efetuou borrifação em sua casa (no primeiro andar) com carrapaticida e localizou entre festas nas paredes diversos carrapatos miúdos, e fez um apelo para que as autoridades possam efetuar a limpeza do conjunto habitacional.

Acompanhe nossas transmissões ao vivo e conteúdos exclusivos no www.aratuonline.com.br/aovivo, na página facebook.com/aratuonline

Fonte: Da redação