Mais de mil metros de cabos de energia elétrica que atendem a iluminação pública de Salvador foram furtados dos postes. Segundo dados divulgados pela Secretaria Municipal de Ordem Pública (Semop) nesta sexta-feira (10/7), foram cerca de 10 ocorrências registradas apenas na última semana.

O órgão somou casos registrados desde o início do mês de junho, até o último dia 6. O último ocorreu na Avenida Luiz Viana Filho, mais conhecida como Paralela: em duas noites seguidas houveram furtos de 500 metros de cabos no mesmo local. Os registros da pasta mostram que os vândalos usam pedras para romper o cobre e, assim, realizar o roubo.

Outro alvo frequente tem sido a subestação da Coelba, no Campo Grande. De acordo com a Sempop, apenas no mês de junho, o local foi invadido seis vezes. Os cabos furtados deixaram parte do Largo do Campo Grande sem iluminação e alguns moradores sem energia.

PREJUÍZO

Os atos de vandalismo causam prejuízos aos cofres públicos. No ano passado foi feito um investimento de 1.5 milhão para revitalização de seis fontes, onde foram implantados projetores em LED, tecnologia que permite a alteração de cor simultânea, evita a penetração da água e é mais resistente aos impactos e corrosão.

"Com o decreto do isolamento social em vigor, as ruas têm permanecido mais vazias, principalmente no período da noite, momento quando os vândalos aproveitam para agir furtando grandes quantidades de cabos, principalmente dos circuitos de iluminação pública. Causando grandes apagões em avenidas e equipamentos públicos, como o exemplo da fonte luminosa da Praça da Sé e Praça Dois de Julho no Campo Grande", relata o Diretor de Iluminação Pública, Junior Magalhães.

O furto de cabos é crime estabelecido no artigo 155 do Código Penal, com pena prevista de dois a oito anos de prisão. A Semop informou que registrou os boletins de ocorrência sobre os furtos e decidiu por desinstalar alguns projetores, bicos, suportes, conectores e cabos, como medidas para coibir e impedir a degradação das fontes. 

As denúncias de roubos podem ser feitas através do canal exclusivo com a Diretoria de Iluminação, no número (71) 98549-8728

LEIA MAIS: Preços da carne, leite, arroz feijão e queijo ficaram mais caros em junho

Acompanhe todas as notícias sobre o novo coronavírus.

Acompanhe nossas transmissões ao vivo e conteúdos exclusivos no www.aratuon.com.br/aovivo. Nos mande uma mensagem pelo WhatsApp: (71) 99986-0003.