AO VIVO Últimas Notícias
16/03/2017 09h00 | Atualizado em 16/03/2017 08h59

CANTE NO UBER: Conheça o motorista que transformou sua viagem em um show de karaokê

CANTE NO UBER: Conheça o motorista que transformou sua viagem em um show de karaokê

CANTE NO UBER: Conheça o motorista que transformou sua viagem em um show de karaokê Foto: Aratu Online
Cris Almeida

Se a música ?vou de táxi?, imortalizada na voz da apresentadora Angélica, fosse composta nos últimos dois anos, ela se chamaria ?vou de Uber?. O aplicativo, que chegou para causar alegria e discórdia na cidade de Salvador, tem como maior trunfo os seus motoristas, que apostam na criatividade e bom atendimento para ganhar a confiança ? e as cinco estrelas — dos clientes.

Neyton Rochester Cavalcanti, de 54 anos, foi além. Motorista do Uber há quase seis meses, decidiu unir a função que exercia em uma loja de equipamentos para som e sua nova ocupação, implementando um karaokê ao veículo que se transforma em ?Rádio Uber? aos finais de semana.

LEIA MAIS: PRIMEIRA VEZ: Uber circula pela primeira vez no Carnaval, mas não desbanca concorrência

LEIA MAIS: ?COINCIDÊNCIA??: Prefeitura copia Uber e autoriza táxis a utilizarem aplicativos

?A ideia surgiu após o réveillon, quando eu levei o karaokê para a festa e viramos a noite curtindo. Depois de ver o interesse da galera, eu pensei ?por que não juntar uma coisas com a outra???. Como a maioria dos motoristas, Neyton decidiu se tornar Uber para complementar a renda mensal. Trabalha como motorista em outra empresa de segunda a sexta, por isso o ?modo uberista? só é ativado aos finais de semana. Mas hoje em dia, garante que ser Uber se tornou mais que uma necessidade.

?Eu levo a pessoa de um lugar a outro, ela já entra aqui ansiosa, pensando no destino, preocupada com algo, então esse espaço se tornou uma terapia. Às vezes até eu estou meio desanimado e aí vem um passageiro, cantamos juntos e isso já muda meu espírito?, explicou.

Mas Neyton não concede o microfone a qualquer um. Para não ser taxado de inconveniente, antes de iniciar a atividade, observa o jeito do cliente e deduz se a brincadeira será bem-vinda ou não. ?Já levei uns puxões de orelha nas avaliações depois da corrida. Gente dizendo que é ?falta de profissionalismo?. Mas isso porque as pessoas estão acostumadas com o estilo chofer e eu busco mais a irreverência?.

Sobre os lucros, Neyton conta que não aumentaram após o karaokê, mas isso não o impede de pensar em novos passatempos para a viagem. ?Já encomendei uma cadeira massageadora, para os tímidos que ficam com vergonha de cantar, já trouxe uns joguinhos de quebra-cabeça e ainda dou um incentivo: quem conseguir solucionar até chegar ao destino, paga metade da viagem?, diz rindo ao contar que até hoje ninguém conseguiu.

Neyton criou um espaço no Instagram para mostrar toda sua irreverência, trata-se do perfil ?Cante no Uber?, onde as pessoas filmadas enquanto cantam aparecem descontraídas e passeando pelas mais de 300 músicas que integram a playlist que vai do gospel aos arrochas baianos.

O Aratu Online pegou uma carona com Neyton e mostrou como é a diversão da volta para casa na ?Rádio Uber?.

Assista:

Acompanhe nossas transmissões ao vivo e conteúdos exclusivos na página facebook.com/aratuonline e também pelo youtube.com/portalaratuonline.

 

Fonte: Cris Almeida