O Ministério Público Federal no Rio de Janeiro moveu ação civil pública para apurar irregularidades nos concursos públicos da Marinha do Brasil em casos de desclassificação de candidatos com tatuagens. Na ação, o MPF requer a suspensão dos editais em andamento que possuem tais restrições, e que a Marinha adeque seus futuros editais e normas internas à jurisprudência do Supremo Tribunal Federal e às normas constitucionais.

Ainda na fase de apuração, o Comando do 1º Distrito Naval argumentou que a legislação estabelece que apresentar tatuagem contraria os requisitos estabelecidos na estrutura e nos princípios próprios dos militares. Uma portaria do Marinha admite a possibilidade de militares fazerem uso de “tatuagens discretas, compreendidas como aquelas ocultáveis pelo uniforme. Assim, a instituição defende a proibição da matrícula, em concursos, de pessoas com tatuagens que não são ocultáveis pelo uniforme.

LEIA MAIS: COISA DE FILME: Quadrilha rouba carga de R$ 5 milhões de dólares em aeroporto de São Paulo

Na ação, o MPF/RJ defende que, apesar da portaria , a prática da Marinha do Brasil fere direitos constitucionais. Isto porque as condições para ingresso nas Forças Armadas só podem ser estabelecidas em lei e a legislação vigente estabelece que a restrição a pessoas tatuadas só se justifica caso o conteúdo do desenho viole valores constitucionais, veiculando ideologias terroristas ou extremistas, apologia à violência, criminalidade, entre outros.

Segundo o MPF, a prática ainda fere direitos individuais, como autonomia e liberdade de expressão. O MPF ainda acrescenta que configura como ato discriminatório e sem razoabilidade a inclusão de tatuagens, visíveis ou não, que não violam valores constitucionais, como condição que incapacita candidatos a participarem de concurso público.

Ainda de acordo com o órgão, o próprio Supremo Tribunal Federal já apresentou tese no sentido que, salvo tatuagens que ofendam valores constitucionais, os editais de concursos públicos não podem ter qualquer restrição a pessoas com tatuagens.

LEIA MAIS: TENSÃO! Seis adolescentes fazem agente refém e fogem de Case em Feira de Santana

Acompanhe nossas transmissões ao vivo e conteúdos exclusivos no www.aratuonline.com.br/aovivo e no facebook.com/aratuonline.

*Publicada originalmente às 16h49