Foi através do WhatsApp que uma quadrilha tentou aplicar um golpe em um morador de Teresina, no Piauí. A partir do canal de comunicação, homens ainda não identificados começaram a história se passando por um primo da vítima e pedindo uma transferência de R$ 22 mil.

No final de toda a ação, o homem recebeu uma mensagem do “primo” e anunciou que já sabia que se tratava de um golpe. O que ele não esperava era a resposta dos criminosos, que pediram para o homem apontar onde eles erraram e afirmaram que era “uma forma de trabalho”.

LEIA MAIS: Funcionários de posto são presos após simularem assalto para roubar R$ 6 mil em Salvador

Um homem ligou dizendo que era um primo meu de Brasília, perguntando se eu estava reconhecendo a voz. Eu falei que tinha alguns primos, ele pediu para eu dizer o nome e eu falei de um deles. A partir de então, a pessoa me disse que tinha quebrado o carro na estrada, no Piauí, e pediu para eu fazer uma ligação, contou o homem ao site G1.

De acordo com ele, a desconfiança surgiu porque o primo da vítima não morava mais em Brasília, onde o DDD é 61, e não 62. Depois uma informação sobre o seguro do veículo pareceu desencontrada, além do alto valor confirmou a suspeita.

Nesse momento eu já estava com o Facebook do meu primo aberto, tinha ligado para minha mãe e pesquisei no Google a foto usada pelo suposto mecânico no WhatsApp, que não era do local informado, relatou.

Veja: 

Acompanhe nossas transmissões ao vivo e conteúdos exclusivos no www.aratuonline.com.br/aovivo e no facebook.com/aratuonline.