Policiais civis baianos realizam uma caminhada, nesta sexta-feira (15/2), a partir das 11h, em direção à sede da OAB-Bahia, no Portão da Piedade, em Salvador. O objetivo, segundo o SINDPOC, sindicato que representa a categoria, é cobrar punição ao advogado Orlando Freire de Assis, que agrediu e tentou matar, no último domingo (10/2), o investigador Sérgio Roberto de Souza Oliveira, na cidade de Feira de Santana.

Durante a manifestação, a categoria vai pedir a expulsão e cassação da carteira da Ordem dos Advogados do agressor. O SINDPOC protocolou ofício junto ao Presidente da (OAB-BA) com o pedido de apuração da conduta adotada pelo advogado e as respectivas medidas judiciais cabíveis para que o crime não fique impune.

A postura dele foi incompatível com as atribuições de um advogado. O fato não pode ficar impune! Ele precisa ser penalizado pelo crime que ele cometeu. A agressão covarde causou uma grande revolta e perplexidade nos policiais civis e não vamos aceitar impunidade, frisa Eustácio Lopes, Presidente do SINDPOC.

PRISÃO

Na última quarta-feira (13/2), o advogado Orlando Freire de Assis, de 29 anos, se apresentou no Fórum Filinto Bastos, em Feira de Santana, e após prestar depoimento foi preso. Ele estava sendo sendo procurado, desde o domingo, pela acusação de ter tentado matar a tiros o Policial Civil Sérgio Roberto de Souza Oliveira, durante uma discussão dentro de um evento na cidade.

De acordo com as informações cedidas ao repórter da TV Aratu Messias Teles, o advogado foi expulso da festa, e no estacionamento do local, Sérgio tentou conversar com ele. Nesse momento, foi iniciada uma discussão, e Orlando começou a agredir o policial repetidamente, com socos e pontapés violentos, até deixá-lo desacordado.

Uma testemunha que passava pelo local tentou apartar a briga, mas Orlando pegou a arma do agente e disparou contra ela. Em seguida, ele efetua disparos contra a cabeça de Sérgio, mas a arma falha, então ele entra em um veículo e foge.

Toda a ação foi flagrada por câmeras de segurança.

Assista ao vídeo:

LEIA MAIS: Rosa Weber pede manifestação de ministro da Educação sobre entrevista polêmica

Acompanhe nossas transmissões ao vivo e conteúdos exclusivos no www.aratuonline.com.br/aovivo e no www.aratuonline.com.br/livesNos mande uma mensagem pelo WhatsApp: (71) 99986-0003.