Layane Ferreira do Nascimento, 21, estudante de recursos humanos em Brasília (DF), ficou paraplégica em julho do ano passado, um mês depois de ter colocado um piercing no nariz. Ela era modelo e perdeu o movimento das pernas por causa de uma infecção que a deixou por mais de 60 dias internada.

Na cadeira de rodas há seis meses, ela decidiu, em janeiro deste ano, contar a sua história de superação e mostrar o seu dia-a-dia no Instagram, como forma de inspirar pessoas.

No relato colocado na ferramenta stories, ela contou como tudo aconteceu. “Fiz um piercing no nariz em junho do ano passado. Estava tudo bem durante um mês, mas aí apareceu uma bolinha na ponta do meu nariz. Fui tratando porque achava que era uma espinha. Depois de uma semana, sumiu, mas comecei a sentir bastante dor nas costas. Na sexta-feira, acordei com as pernas bem fracas. Consegui tomar banho, ir à igreja e, na volta, deitei para tirar um cochilo. Quando acordei, às 17h, eu já não sentia minhas pernas”.

Ela contou que foi levada ao hospital e passou por exames que apontaram infecção no sangue. “Perceberam que tinham uma infecção, mas não entendiam o que era. A dor era tanta que comecei a tomar morfina. Foram os piores dias da minha vida”.

Layane passou por uma ressonância e os médicos encontraram pus na coluna vertebral, realizaram a cirurgia e tiraram a secreção. “Fizeram a cultura do pus e descobriram que era uma bactéria nasal, desenvolvida na pele. Perguntaram se eu tinha tido sinusite ou alguma ferida. Contei sobre a espinha depois de perfurar o nariz. Ele me disse, então, que o piercing foi a porta da entrada para que a bactéria entrasse no meu corpo”.

A jovem destacou ainda que sempre foi muito vaidosa e não estava pronta para expor o que tinha acontecido com ela, mesmo com o incentivo da família e dos médicos. Foi através do Instagram que ela conseguiu compartilhar com as pessoas sobre o que havia passado, tornando-se inspiração para várias meninas.

“Tem algo que não me deixa desistir: é a minha fé de que vou voltar a andar, de que vou superar isso. Eu acho que é importante as pessoas verem pelo que passei para entenderem que não há nada que não possamos superar. Quero mostrar que dá para ser alegre apesar de tudo o que passei. Quero também inspirar as pessoas também a serem mais gratas. A minha cicatriz na coluna é, hoje, uma das partes que mais gosto do meu corpo. É um jeito de lembrar da segunda chance que Deus me deu. Sou muito orgulhosa dela”, finalizou. Atualmente, Layane tem mais de 22 mil seguidores que acompanham e se inspiram com a história dela.

LEIA MAISMega-Sena: prêmio de R$ 5,5 milhões pode ser pago neste sábado

Acompanhe nossas transmissões ao vivo e conteúdos exclusivos no www.aratuonline.com.br/aovivo e no www.aratuonline.com.br/lives. Nos mande uma mensagem pelo WhatsApp: (71) 99986-0003.