Da noite para o dia, as quase 270 famílias que vivem em uma ocupação no bairro do Caji, em Lauro de Freitas, na Região Metropolitana de Salvador, viram suas vidas serem transformadas com a possibilidade de ficar sem um teto para morar nas próximas horas.

A localidade que, segundo moradores começou a ser ocupadas há cerca de quatro anos, na manhã desta terça-feira (8/5), recebeu uma notificação judicial informando que o Governo do Estado junto com a  CONDER- Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia irá desapropriar o terreno em um prazo de 24 horas.

LEIA MAIS: Geddel, irmão e mãe se tornam réus e STF decide manter prisão preventiva do ex-ministro

De acordo com José Antônio Nascimento, responsável pela articulação dos moradores da comunidade, a Conder, desde o início da ocupação, nunca informou aos residentes que a área era irregular. A ordem judicial aponta que o terreno será desapropriado para construção de um projeto do Minha Casa, Minha Vida.

Com medo de represálias policiais e sem terem para onde ir, uma manifestação sera realizada no início da manhã desta quarta-feira (9/5), na Estrada do Coco (BA-099) e depois na prefeitura de Lauro de Freitas para pedir intervenção no processo de desapropriação.

Os moradores também denunciam a falta de planejamento do estado em remanejar as famílias para outro local. “Varias pessoas aqui estão desesperadas porque elas não tem para onde ir e o prazo dado pelo juiz de direito André de Sousa Dantas da 1ª Vara de Feitos é muito curto”, afirma Nascimento.

O Aratu Online entrou em contato com a Conder para apurar as circunstâncias denunciadas pelos moradores da localidade do Caji, mas até a publicação desta nota, não obteve resposta.

LEIA MAIS: VEJA VÍDEO: Motociclista fica ferido durante acidente na região da Sete Portas

LEIA MAIS: Presa quadrilha que vendia imóveis inexistentes pela internet; Ex-PMs estão envolvidos

Acompanhe nossas transmissões ao vivo e conteúdos exclusivos no www.aratuonline.com.br/aovivo e no facebook.com/aratuonline.