Há quem goste de curtir o Carnaval de Salvador dentro dos camarotes; há quem curta a pipoca, e tem aquelas que preferem seguir o trio, dentro das cordas. Para quem prefere aproveitar a folia nos blocos, a venda de abadás começa meses antes, mas sempre existem aqueles foliões que deixam para cima da hora.

A boa notícia é que é possível encontrar cambistas vendendo as camisas nos arredores da festa. No Circuito Dodô (Barra/Ondina), eles costumam se situar na Avenida Centenário, próximo ao Shopping Barra, onde há uma grande passagem de pessoas. Lá, os vendedores oferecem abadás por preços mais baratos que nos sites, ou à vezes, mais caro.

O Aratu Online encontrou diversas opções: o bloco "Meu e Seu", puxado pelo Harmonia do Samba, tem abadás custando de R$ 170 a R$ 400; O bloco "Crocodilo", de Daniela Mercury, também pode ser encontrado pelo mesmo preço. Os blocos de  Durval Lelys e Bell Marques costumam ser os caros: saem de R$ 400 a R$ 600. Já o bloco "Praieiro", comandado pela banda Jammil, está mais acessível: os abadás custam R$ 170. No circuito Dodô, quem deixa para cima da hora, ainda encontra pessoas oferecendo customização das camisas.


 


João Souza vende camisas de blocos nos circuitos há 15 anos, e conta que o melhor dia para vendas, até o momento, foi no sábado (2/3). "Hoje tá fraco, o melhor foi sábado. Camarote Salvador vendeu bastante o feminino, por R$ 2 mil reais. O bloco, o menor preço, a gente vendeu por R$ 500", diz.

Apesar da grande oferta, e do maior número de pessoas nas ruas, a maioria dos cambistas reclama que as vendas de abadás caíram bastante este ano. Um deles acredita que a situação seja por conta da oferta de atrações na pipoca, e a facilidade de vendas pelos sites.

LEIA MAIS: Celebrando 40 anos, Olodum abre desfile no Circuito Dodô e fala em resistência; vídeo

Acompanhe nossas transmissões ao vivo e conteúdos exclusivos no https://www.aratuon.com.br/aovivo. Nos mande uma mensagem pelo WhatsApp: (71) 99986-0003.