A inflação oficial, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), fechou 2018 em 3,75%. Em 2017, ela havia ficado em 2,95%. Os dados foram divulgados hoje (11/1), no Rio de Janeiro, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Em dezembro, o IPCA registrou inflação de 0,15%, taxa maior que a de novembro, que teve deflação de 0,21%. Em dezembro de 2017, o indicador havia registrado inflação de 0,44%.

A meta do governo era manter a inflação em 4,5% no ano, com uma tolerância de 1,5 ponto para cima ou para baixo, ou seja, podendo variar entre 3% e 6%. O tomate, a gasolina e a conta de luz estão entre os ‘vilões’ da alta de preços:

Tomate: +71,76%
Cebola: +36,71%
Batata-inglesa: +23,76%
Passagem aérea: +16,92%
Plano de saúde: +11,17%
Conta de luz: +8,70%
Gasolina: +7,24%
Ônibus urbano: +6,32%

Habitação: +4,72%
Transportes: +4,19%
Alimentação e Bebidas: +4,04%

Após queda de preço em 2017 graças à safra recorde, alimentos e bebidas ficaram mais caros em 2018, com efeito da safra cerca de 5% menor e da greve dos caminhoneiros no fim de maio.

LEIA MAIS: João de Deus e esposa são indiciados por porte ilegal de arma

Acompanhe nossas transmissões ao vivo e conteúdos exclusivos no www.aratuonline.com.br/aovivo e no www.aratuonline.com.br/lives. Nos mande uma mensagem pelo WhatsApp: (71) 99986-0003.