O desembargador do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) Mario Alberto Hirs pediu vista (mais tempo, a grosso modo) para analisar o pedido que pode derrubar a decisão do júri popular que absolveu a médica Kátia Vargas Leal Pereira, acusada de matar os irmãos Emanuel e Emanuelle Gomes em outubro de 2013.

Os desembargadores da 2ª Turma da 2ª Câmara Criminal do TJ-BA se reuniram em sessão nesta quinta-feira (2/8).

LEIA MAIS: AO VIVO! TJ analisa recurso que pode derrubar júri popular de Kátia Vargas

A sessão começou por volta das 13h40 e durou cerca de três horas. Primeiro, os advogados de acusação e defesa, Daniel Keller e José Luis de Oliveira Lima, respectivamente, apresentaram suas teses. Em seguida, por volta das 14h20, o primeiro dos três desembargadores, o relator José Alfredo Cerqueira da Silva, começou a fundamentar seu voto a favor da anulação do júri.

Depois dele, foi a vez de Mario Alberto Hirs votar e pedir vista no processo, por volta das 16h15. Assim, o julgamento foi adiado para a próxima sessão, cuja data ainda será definida pelo Tribunal de Justiça da Bahia.

DRAMA 

A mãe de Emanuel e Emanuelle, Marinúbia Gomes Barbosa, de 49 anos, esperava ansiosamente pelo recurso de apelação. Entrevistada durante a mesma série especial, a enfermeira falou, entre outros assuntos, sobre a Justiça.

Agora eu tenho fé de que a justiça será feita. Porque, pela forma como o julgamento foi conduzido, ficou clara a parcialidade de alguns envolvidos no júri. Foi uma verdadeira vergonha, uma decepção, tanto para mim quanto para a população aqui de Salvador, desabafou ao comentar o júri que absolveu a médica.

Acompanhe nossas transmissões ao vivo e conteúdos exclusivos no www.aratuonline.com.br/aovivo e no  facebook.com/aratuonline