Dois meses após um pedido do Conselho Nacional de Justiça de Cabo Verde, na África, a sentença de 10 anos de prisão dos velejadores baianos Daniel Dantas, de 43 anos, e Rodrigo Dantas, de 25, voltará para a primeira instância e será analisado novamente pelo Tribunal de Justiça de São Vicente. Os dois, juntamente com o gaúcho Daniel Guerra, de 37 anos, foram condenados por tráfico internacional, no ano passado.

Com o novo julgamento, a expectativa das famílias é de que os velejadores possam  responder a acusação em liberdade. Em conversa com o Aratu Online, o cientista político Paulo Fábio, primo de Daniel Dantas, explicou que a apreciação em primeira instância já determinará, na próxima segunda-feira (21/1), se os baianos e o gaúcho serão liberados da prisão para responder ao caso. “O Conselho de Justiça alegou irregularidades no primeiro julgamento e o Tribunal da Relação de Barlavento (TRB) acabou anulando o juízo na última sexta-feira (18/1). Agora eles vão retomar o processo, ouvir todos eles e tomar uma nova decisão. Era isso mesmo que nós queríamos”.

LEIA MAIS: Jovem de 18 anos que negou pedido de namoro é encontrada morta na Bahia

O CASO

Os três velejadores foram contratados pela empresa Yatcg Delivery Company para entregar um veleiro que estava sendo reformado em Salvador na Ilha de Açores, em Portugal. Sem irregularidades após inspeção em Salvador e Natal, os três seguiram o trajeto.

Em Cabo Verde, porém, mais de uma tonelada de cocaína foi encontrada no veleiro em um piso de concreto e cimento na embarcação durante outra inspeção.  O caso já estava em segunda instância quando o julgamento da primeira ordem foi anulado.

Acompanhe nossas transmissões ao vivo e conteúdos exclusivos no www.aratuonline.com.br/aovivo e no www.aratuonline.com.br/lives. Nos mande uma mensagem pelo WhatsApp: (71) 99986-0003.