Foto: ilustrativa/Pexels

 

Caríssimas pessoas!

Hoje começamos um desafio extraordinário com a nossa coluna no Aratu On. Sou uma forte defensora do pensamento socrático, que reconhece a limitação do nosso conhecer, e essa defesa é que me coloca neste lugar de construção de conhecimento pela troca, pelas perguntas, pela reflexão, por uma busca pela evolução e, pouco a pouco, "de galera", sermos hoje melhor que ontem e amanhã melhor que hoje.

Quero te convidar para fazer parte do nosso Farol, lendo, compartilhando, comentando e construindo conosco novos pensamentos, conhecimentos e entendimentos. E, como o texto de abertura da nossa coluna fala de semear, se um pequeno insight brotar em você depois desta leitura, já terei florescido!

Minha gratidão por ter dedicado seu tempo para estar conosco aqui.

***

Venho tentando, há tempos, cultivar uma horta no meu apartamento. Na verdade, horta é uma expressão bem generosa porque até o momento só tentei manjericão, coentro, hortelã, arruda e pimentas, mas tenho fascinação por plantas e no gigante apartamento de 80m² em que vivo há alguns anos, tento insistentemente ter estas espécies habitando em harmonia comigo.

Mas, preciso confessar minha frustração: não tenho obtido sucesso. Tenho plantas diversas aqui, flores, pimenteiras e quatro vasos de uma planta enorme que não sei o nome, mas que uma vez por ano, dá uma flor linda que perfuma a casa toda. Ela está comigo desde que comprei este apartamento e já deu várias crias. Reina absoluta no meu lar. Mas, quanto a horta, nada. Já tentei absolutamente tudo que me ensinaram: plantei sementes, mudas e partes da planta.

Coloquei em vasos rasos e profundos. Troquei de lugar. Deixei ficar no sol. Deixei mais tempo na sombra. Molhei todos os dias. Molhei só três vezes por semana. Isso sem falar nas conversas. Sempre estou ali, ao lado, dialogando, motivando, contando o quanto são especiais para mim. Nada funciona. E elas abusam de mim, porque até brotam e me deixam toda feliz, mas, dias depois, estão lá, murchinhas, secando, indo embora.

Nesta peleja travada, conto com uma parceira, minha secretária do lar, que adota as mais diversas técnicas: planta o caroço, planta um pedaço da folha, coloca muda com raiz e tudo que a sabedoria popular permite ensinar.

Numa destas tantas tentativas, eis que um dia chego em casa e me deparo com vários pezinhos de coentro e cebolinha, crescendo viçosamente. Fiquei em êxtase e comecei a comemorar. Troquei o lixo de lugar e descobri que o canto de sol talvez fosse o segredo. Molhei a caco todos os dias, conversei com eles, e, ainda não era desta vez.

Um dia, chegando à noite, corri para visitá-las e deparei com as bichinhas já murchas, sem vida. Nem sei explicar a vocês a tristeza que sinto, mas ela está lá, mexendo comigo, me dizendo que não tem jeito, que não vou conseguir, que talvez não tenha nascido para plantar uma horta no apartamento, que elas não gostam de mim. Todas estas vozes me afligem, me aporrinham, me trazem a decepção de mais uma tentativa frustrada.

Fico ali uns dias tristinha e dizendo que não quero mais saber de plantar a horta. Mas aí, olho o caco vazio, a terra à espera e algo me movimenta de novo. Lembro que tenho outras plantas que vivem lindas há tantos anos no mesmo apartamento que já deram filhos, aliás vivem dando filhotes e trazem ao meu lar o tom da natureza que tanto aprecio.

E lá vou ao Ceasa novamente, compro mais terra, outros cacos e recomeço. Peço dicas a todos que encontro, pergunto como devo cuidar, se elas precisam de água todos os dias, se precisam tomar sol, sombra ou manter sempre no mesmo lugar. Volto para casa e recomeço. Mais uma vez.

Neste momento em que escrevo a vocês, trouxe um pé de manjericão e estou estudando colocá-lo sozinho em outro vaso e ver como ele se comporta, até porque, esta semana, minha secretária me surpreendeu. No caco que estava vazio, ela colocou sementes de milho! Bom, achei a coisa um tanto exagerada e sem a menor possibilidade destes grãos brotarem, afinal, eles estão na menor jardineira que há no apartamento. Olhei aquilo com bem estranheza, até conversei com eles, mais preparando-os para o fim próximo do que para o nascimento. Mas, para minha surpresa, alguns grãos já brotaram, então, não posso colocar outra planta lá. Vou recomeçar com o manjericão em outro canto.

Mas, agora, quero deixar as plantas por um instante e chegar às pessoas e aos seus desafios, em especial, novos desafios. Quando eles chegam até nós, somos provocados, testados, avaliados, pressionados, exigidos e esperados! Espera-se que o nosso brotar seja esplendoroso, que nossas folhas sejam do verde mais bonito, que nosso perfume (se formos de uma espécie que perfuma), seja envolvente. Que estejamos sempre viçosos para encantar os que se colocam a nos admirar e, que nossos frutos sejam os mais saborosos e nutritivos.

Só que, quando sou semente, as condições externas podem facilitar bastante o meu desenvolvimento, mas acredito também, que em algum momento, eu semente, posso estar tão fragilizada ou assustada e aí, mesmo que tudo ao redor seja propício, não conseguirei brotar.

Como nós podemos ampliar essa crônica para nosso papel na gestão de pessoas? Como temos cuidado das nossas sementes? Para quem escolheu o caminho da liderança, o caminhar é por demais desafiador! Hoje, não tenho a pretensão de lhe deixar respostas, mas aproveitar esse texto para deixar duas das minhas provocações amorosas: o que você está efetivamente fazendo para desabrochar como líder e como está tratando suas sementes?

Não sei se me sinto a semente ou a semeadora. Talvez, seja as duas coisas. Preciso preparar o terreno para que outras sementes brotem, mas também preciso brotar. Tenho a expectativa da vida do que semeei, mas também sei que outros esperam os meus frutos. Como é difícil nascer! Como por vezes, é difícil recomeçar! E como é belo, extraordinário e maravilhoso, brotar!

Então, quero deixar aqui, a compreensão de que, por mais difícil que seja empurrar a terra para, enfim, respirar e existir, a recompensa de ver a vida de pé, de sentir o sol roçando nas suas folhas e de contribuir com a extasiante experiência de viver e construir, vale qualquer esforço!

Quanto às minhas plantas e sementes, quero dizer-lhes que continuarei tentando. Lembrarei das que já habitam comigo e continuarei acreditando na vida, estarei à espera do nascimento de cada uma, com toda atenção e amor que eu puder dedicar e com toda água, sol, sombra e conversa que elas precisarem. Do mesmo jeito, quero que as pessoas que a mim foram confiadas, saibam que também acreditarei nelas e dedicarei o sol, a sombra, a água e a conversa corporativa que precisarem. E torço para que elas queiram e acreditem estar em solo apropriado e que estejam fortalecidas, porque caso contrário, o meu esforço não será capaz, sozinho, de fazê-las brotar.

Agora, uma pequena aflição me atinge... o que vou fazer se o pé de milho crescer?

Feliz brotar para todos nós! Felizes frutos para nossas vidas!

Simbora! Nosso Farol está aí para você! 

*Este material não reflete, necessariamente, a opinião do Aratu On.

Sócia-diretora da Arttha Gestão & RH, também é pedagoga, mãe, escritora, líder, semente, semeadora e profundamente apaixonada pela vida.

Instagram: @artthaoficial

 

Notícias Relacionadas

Não é um portal! É a vida ao vivo, em tempo real! O Aratu On é uma plataforma focada na produção de conteúdo audiovisual, que fala da Bahia e dos baianos para o Brasil e para o mundo. Aqui, a notícia é no tempo presente.

Fotos do Instagram

A campanha vai até o próximo dia 14 de agosto, com jogos de fliperama, futebol de botão, tabuleiro, videogame e gude. Para ter acesso ao espaço, especialmente montado no corredor L2 Sul, basta apresentar uma nota fiscal de compras com o valor mínimo de R$ 50.

#AratuOn #ShoppingBelaVista #PubliUma filhote de urso se intoxicou comendo grandes quantidades de mel alucinógeno na Turquia. O animal (fêmea) foi resgatado pelo Ministério da Agricultura, que publicou a situação na quinta-feira (11/8) nas redes sociais. 

"Nosso bebê urso pardo está de boa saúde, e nossas equipes continuam a tratá-lo. Vamos dar a nossa adorável "filha" que teve uma overdose de mel", escreveu o órgão turco no Instagram. 

Segundo o jornal The Guardian, a substância vem da flor de rododentro, uma planta arbustiva que contêm a toxina graianotoxina, capaz de envenenar os humanos e produzir efeitos alucinógenos.

#AratuOnCondenado pelo assassinato da modelo Eliza Samudio, o goleiro Bruno Fernandes pode voltar à prisão, desta vez pelo não pagamento de pensão.

Segundo o site Notícias da TV, os vencimentos não estariam sendo repassados desde janeiro de 2020.

Ainda de acordo com o portal, Bruno, que já tem mandado de prisão em aberto por conta da falta de pagamento, chegou a apresentar proposta de pagar R$ 30 mil à vista e o restante parcelado, em 12 vezes.

O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, porém, negou. 

A pensão, que já está em R$ 90 mil, é relativa ao filho de Bruno com a modelo. O adolescente, que já tem 12 anos, é criado pela avó materna, que acionou a Justiça. 

#AratuOnUm casal norte-americano revelou à imprensa um pouco da história de amor que têm com a madrinha do casamento deles. Angel Bailey, de 26 anos, e Tyler Harris, de 29, se casaram em maio deste ano, mas desde 2021 mantém uma relação poligâmica com Sam Vicks, de 23 anos.

Em entrevista ao Daily Mail, o trisal abriu suas intimidades e falar como é a relação. O detalhe da história é que, Tyler e Angel escolheram Sam para ser a madrinha do casamento deles e agora, a terceira integrante aguarda sua vez de subir ao altar.

Angel e Tyler se conheceram no Tinder em 2018. Em 2021, resolveram incluir Sam no relacionamento e o trio passou a dividir o mesmo teto. Desde então, eles postam o dia a dia da família nas redes sociais.

Sobre as diversas opiniões e comentários que recebem, Angel disse que não se arrepende da decisão e está melhor do que nunca. “A maioria das pessoas tem sorte de encontrar uma pessoa para amar, mas nós temos a sorte de encontrar duas”, contou.

#AratuOnPesquisa da Quaest Consultoria realizada face a face, contratada pela Genial Investimentos e divulgada, nesta sexta-feira (12/8), aponta liderança do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na intenção de votos dos eleitores de Minas Gerais para a Presidência, com 42% no cenário estimulado, quando é apresentada uma lista de candidatos. O presidente Jair Bolsonaro (PL) tem 33%.

A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. Em seguida, aparecem Ciro Gomes (PDT), com 6%, e Simone Tebet (MDB), com 1%. Os demais candidatos testados não pontuaram.

Não é possível comparar este levantamento com o do mesmo instituto realizado no mês passado, porque houve a inclusão do nome de Soraya Thronicke (União Brasil), além da saída de André Janones (Avante) e Pablo Marçal (Pros). Em julho, o ex-presidente liderava com 46%, e o chefe do Executivo tinha 28%.

O levantamento ouviu pessoalmente 2 mil eleitores em Minas Gerais entre os dias 6 e 9 de agosto. O nível de confiança, segundo o instituto, é de 95%. A pesquisa foi registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) sob o número BR-08299/2022 e custou R$ 122.625,00.

#AratuOnO uso de máscara voltou a ser recomendado em ambientes fechados e no transporte público em Feira de Santana. O decreto está publicado em edição do Diário Oficial Eletrônico desta sexta-feira (12/8).

A medida, de acordo com a Prefeitura, pretende reduzir os riscos de transmissão da varíola dos macacos (Monkeypox). Ainda conforme a publicação, é recomendada a higienização dos ambientes, disponibilidade de álcool gel e distanciamento social.

Inicialmente, a intenção do decreto seria obrigar o uso do item de segurança, mas a medida foi modificada para uma recomendação depois que o paciente, de 29 anos, infectado pela varíola dos macacos, informou, nesta quinta-feira (11/8), para a equipe de infectologia do município, que teria pegado a doença em outro estado. Ele disse, ainda, que só voltou para Feira de Santana depois dos primeiros sintomas. Pessoas que tiveram contato com o paciente não apresentaram sintomas da doença.

A transmissão da varíola dos macacos ocorre por meio de contato direto com a pessoa contaminada - espirros, tosse, fluídos durante o ato sexual e suor. A contaminação também se dá através das fezes, além de talheres e pratos compartilhados.

Erupções na pele (que também podem aparecer na região genital e anal), inchaço nos gânglios, dor de cabeça, febre intensa e dores no corpo são alguns dos sintomas. No município, o primeiro caso foi registrado em um jovem de 29 anos na última quarta-feira (10/8).

#AratuOn #FeiraDeSantanaAqui quem fala é...ele! Depois de estourar na internet durante a pandemia, anunciar uma pausa das redes sociais por conta de uma crise de esgotamento, "Esse Menino" (@essemenino) está de volta à ativa, levando para os palcos um espetáculo que fala sobre temas pessoais: vida, relacionamento, política, tudo isso "da perspectiva de um homem gay", como ele faz questão de deixar claro. Confira a entrevista completa que repórter Juana Castro fez com o artista, que falou, ainda, que está apaixonando e namorando um baiano, em: https://aratuon.com.br/variedades/Um jovem de 18 anos suspeito de roubar carros na Inglaterra achou que se enfiando dentro de um urso de pelúcia não seria descoberto pela polícia. Segundo o portal Extra, ele tinha roubado um Mitsubishi ASX e ainda saído sem pagar pelo combustível em maio.

Joshua Dobson, de Rochdale, na região metropolitana de Manchester, estava dentro de casa quando percebeu a aproximação de agentes da Great Manchester Police (GMP). Foi ai que ele teve a ideia de abrir o fundo do ursinho e entrar nele.

Os políciais perceberam que o gigantesco urso de pelúcia estava "respirando" num canto do imóvel. Os agentes da lei toparam o jogo de esconde-esconde, inspecionaram o brinquedo e prenderam o criminoso.

#AratuOnMorreu, na madrugada desta sexta-feira (12/8), aos 66 anos, o cantor baiano Zelito Miranda. Segundo informações da família do artista, ele faleceu devido a um problema pulmonar.

O sepultamento do forrozeiro, natural de Serrinha, está marcado para acontecer na tarde desta sexta-feira (12/8), às 16h30, no cemitério Bosque da Paz,em Salvador.

O FORROZEIRO

Nascido no município de Serrinha, a 175km de Salvador, foi um artista multifacetado. Embora sua intimidade com o triângulo tenha começado ainda na infância, aos oito anos de idade, Zelito trilhou por vários caminhos, das artes plásticas, ao teatro, ao cinema até chegar a música e ao forró.

Começou na música na música “um pouco depois”, aos 27 anos. Antes, fez parte da cultura alternativa de sua cidade, foi ator por 10 anos, é escritor e flertou com a MPB, o rock e tocou no Novos Bárbaros, grupo que fez sucesso nos trios elétricos na efervescente década de 80 na capital baiana.

Gravou o primeiro disco com um repertório daquilo que ele chama de MPN (Música Popular Nordestina) mas os pedidos de shows e gravações em forró foram, aos poucos, fazendo com que o artista assumisse a herança de Gonzagão como sua carreira.
 
Zelito faleceu com 40 anos de carreira e mais de 200 músicas no currículo, defendia cultura e a tradição do forró. Ele deixa a esposa Telma, maior parceira de sua vida, e as filhas Luiza e Clarice, que espera o primeiro neto de Zelito.

#AratuOn #ZelitoMiranda
Ver Mais